A Oração - Perdoa-nos as nossas dívidas (Mateus 6:12)

#Estudo #Esboço #Explicação #Sermão #Mensagem #Pregação #Meditação #Devocional #O que é #Significado #Comentário #Bíblia #Pai nosso #Oração #Por que orar #Como orar #Estudo sobre Oração #Estudo bíblico Oração #Perdão #Oração do Perdão #Perdoar #Devedores

"[...] e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores" Mateus 6:12.

 Introdução 

Neste texto veremos a importância de perdoar nossos devedores e como isso pode influenciar no modo como nós alcançamos o perdão diante de Deus.

 Perdoar nossos devedores 

"Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia" Mateus 5:7.

Esta é a única sentença da oração modelo de Jesus que possui uma situação de dependência entre as orações. Quando Jesus diz "[...] assim como nós temos perdoado aos nossos devedores", ele está dizendo que somos perdoados de igual modo como nós mesmos perdoamos os nossos devedores. Ou seja, esta é uma oração condicional, e a condição imposta por Jesus para Deus perdoar as nossas dívidas é que nós, primeiramente, perdoemos os nossos devedores.

Essa relação muda muito a forma como entendemos o perdão. Nós temos o costume de desejar o perdão e de condenar o pecador. Essa é a realidade da natureza humana e está descrita em várias passagens na bíblia. Porém, quando entendemos essa condição de Jesus, percebemos que a minha obrigação é de perdoar, mesmo que os outros não me perdoem. Perdoar os meus devedores é tão importante quanto pedir perdão a Deus. Se você não perdoa seus devedores, como Deus, sendo justo, poderá lhe perdoar os seus pecados?

Este ponto é tão vital na vida do cristão, que é uma das bases utilizadas por Evan Roberts no avivamento no País de Gales (leia aqui o capítulo que trata desse tema). Roberts definiu quatro pontos principais para guiar o avivamento, uma vez que não era possível dispender muito tempo com o ensino minucioso da palavra. Ele falava que a falta de perdão pode nos separar de Deus, uma vez que precisamos diariamente do perdão divino.

 O perdão de Deus 

Interessante que Jesus não ora a Deus pedindo que os nossos pecados fossem perdoados, mas ora pedindo que as nossas dívidas sejam perdoadas. E este é exatamente o sentido deste texto. Isso nos mostra muito claramente que nós, enquanto pecadores que somos, temos uma dívida com Deus que deve ser perdoada. Para alcançar este perdão e não sermos condenados, conforme a nossa transgressão, precisamos da misericórdia de Deus. E para fugir deste juízo imagine o que precisamos: misericórdia. Veja: "A misericórdia triunfa sobre o juízo" Tiago 2:13.

Quão profundo e maravilha é esta revelação! Este texto nos ensina que, se somos misericordiosos, então sobre nós não valerá o juízo de Deus. Em lugar do juízo valerá a misericórdia que usamos com nosso próximo, pois a misericórdia triunfa sobre o juízo.

 Esperar no SENHOR 

"Eis que os olhos do SENHOR estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia" Salmo 33:18.

Uma das consequências de não ter a misericórdia de Deus, é sair da sua presença. Se não temos a misericórdia de Deus, certamente não estamos na sua presença. E quando saímos da presença de Deus devemos buscá-la rapidamente.

Este salmo nos ensina isso. Ele diz que devemos esperar a misericórdia de Deus. Na prática isso significa que devemos colocar nossos olhos e atenção sobre aquilo que irá nos livrar do juízo derradeiro. Não importa o quanto a nossa vida tem sentido, se não somos perdoados por Deus nada valerá.

Assim, devemos aguardar de Deus esta grande misericórdia, como algo extremamente valioso. Buscá-la como se busca uma pérola perdida ou como um tesouro escondido. Apenas aqueles que assim procedem alcançarão a misericórdia verdadeira de Deus. Se estamos distantes da presença do Senhor, devemos aguardar a sua misericórdia com grande zelo.

 A oração de perdão 

Por fim, orar pedindo a Deus que perdoe a nossa dívida implica que primeiro perdoamos nossos devedores. Esta é uma oração de paciência, pois ao Senhor pertence o perdão. É por isso que devemos temê-lo. Achegar-nos a Ele como fez o salmista, clamando das profundezes com a certeza que ele nos ouvirá e livrará de todas as coisas.

"Das profundezas clamo a ti, SENHOR.
Escuta, Senhor, a minha voz; estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas.
Se observares, SENHOR, as iniquidades, quem, Senhor, subsistirá?

Contigo, porém, está o perdão, para que te temam.
Aguardo o SENHOR, a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra.

A minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da manhã. Mais do que os guardas pelo romper da manhã, espere Israel no SENHOR, pois no SENHOR há misericórdia; nele, copiosa redenção. É ele quem redime a Israel de todas as suas iniquidades" Salmo 130.

Comentários