A Oração: Pai nosso, que estás nos céus (Mateus 6:9)

#Estudo #Esboço #Explicação #Sermão #Mensagem #Pregação #Meditação #Devocional #O que é #Significado #Comentário #Bíblia #Pai nosso #Oração #Por que orar #Como orar #Estudo sobre Oração #Estudo bíblico oração

"Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;" Mateus 6:9.

 Introdução 

“Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito [...]" Efésios 6:18.

Depois de vermos por que e como devemos orar, chegamos, finalmente, a parte prática do nosso estudo. A partir deste estudo veremos os exemplos dados na palavra que exemplificam alguns tipos de oração para, a partir destes exemplos, também basear a nossa própria vida de oração.

O sentido no original grego da expressão "orar com toda a oração", no versículo citado acima, quer dizer que devemos orar com todos os tipos de oração, todas as formas de oração. Existem várias formas de orar a Deus e veremos uma a uma a partir do estudo de hoje. Um texto que nos mostra várias destas formas é a oração modelo de Jesus. Ela é o verdadeiro modelo que serve para verificarmos como Jesus fazia suas orações e tomar isso por base e modelo das nossas próprias orações.

 A Oração de louvor 

Jesus inicia a oração modelo com uma frase de louvor e exaltação a Deus. A primeira frase citada nesta oração é: "Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;" Mateus 6:9. Como a oração é direcionada aos Céus, para falarmos diretamente com Deus, então devemos nos direcionar a Ele em nossas orações. Muitas vezes a nossa oração é ineficaz, pois nos direcionamos a muitas coisas e esquecemos que a oração se direciona, primeiramente, a Deus. Orar é falar com nosso Pai que está habitando o mais alto do Céus, acima de todo principado e potestade e acima de todo nome. Para falar com o Senhor devemos entender que falamos com o nosso Deus, sabendo que Ele existe e com fé que seremos ouvidos. Deus, certamente, se faz ouvido se temos um coração sincero e cheio de fé.

Iniciar a oração modelo com uma frase de adoração e louvor a Deus também demonstra que, ao orarmos, um dos objetivos em nossa oração é engradecer o nome do Senhor e exaltar o seu santo nome. Assim, a oração de louvor, adoração e exaltação a Deus é o primeiro tipo de oração.

Um dos textos bíblicos que deixa essa impressão ainda mais clara são os textos de Apocalipse. Este livro retrata muitas coisas que se passam nos Céus e nos mostram a atitude dos seres celestiais. Em um dos textos é dito que os seres viventes, que servem diante do trono de Deus, "não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir" Apocalipse 4:8b.

Este é um exemplo maravilhoso para o povo de Deus. Este tipo de adoração não é uma adoração meramente musical e exterior, mas é uma adoração sincera, singela e verdadeira que deve proceder assim dos nossos corações. Devemos exaltar essa Deus maravilho e dizer todas as suas obras e maravilhas que conhecemos e que desconhecemos, pois o Senhor é o único digno de receber todo o louvor, toda glória e toda honra. Devemos louvá-Lo pois só Ele é digno.

Quando passamos a exaltá-Lo percebemos a grandeza de Deus a passamos a conhecê-Lo mais profundamente. Por isso, este tipo de oração revela muita da grandeza de Deus. Mas não somente isso. Por percebermos a grandeza de Deus, também passamos a perceber a nossa própria insignificância. Um excelente exemplo também pode ser verificado em Apocalipse 4:

"Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graças ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos, os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando: Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas" Apocalipse 4:9-11.

Neste texto eu gostaria de chamar a atenção para o trecho "adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono". Este trecho mostra os vinte e quatro anciãos que estão diante do trono de Deus. Estes anciãos possuem coroas de ouro sobre suas cabeças e estão assentados em vinte quatro tronos ao redor do trono de Deus. Mas, independente da sua autoridade e glória, quando vão louvor o Senhor eles arremessam as suas coroas diante do trono de Deus e se prostram diante de Deus declarando: "Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas".

O resultado de uma vida de adoração é se humilhar na presença de Deus. Não de uma forma forçada, mas como uma vontade natural, percebendo que estamos diante do Rei da Glória e que a nossa própria glória não tem valor algum. Perceber a glória, a honra e a majestade de Deus fará de nós homens e mulheres humildes, singelos e humilhados em sua presença. Tudo isso porque em um momento da nossa oração nós passamos a adorá-Lo e exaltamos o seu santo nome.

Assim, adorar o Senhor e exaltar o seu nome, além de nos levar a uma comunhão com o Senhor, nos revelará quem nós somos, ou seja, pecadores falhos e cheios de erros. Nos humilharemos diante Dele e entregaremos a Ele toda a nossa autoridade e glória.

Sim, Senhor. Tua, apenas é toda a glória, a majestade e o louvor eternamente. A ti, somente, pertencente a glória. Arranca de nós toda glória humana e pecaminosa e faz de nós teus filhos humilhados na tua presença, pois tu és digno. Que o Jeová, o nosso Deus, seja exaltado. À Ele seja o louvor, a glória e a honra pelo séculos dos séculos.

Comentários