Dons Espirituais: Introdução

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Significado #Sermão #Pregação #Bíblia #Meditação #Devocional #Dons Ministeriais #Dons de Deus #Dons do Espírito Santo #Dons #Espírito Santo #Sobrenatural #Mover #Deus #Epístola #Carta #Coríntios #Estudo Dons#Como alcançar #Manifestações espirituais #Utilidade do dom #Vontade De Deus #Receber um dom #Ganhar um dom #Ter um dom

Já há algum tempo tenho desejo de escrever sobre os dons espirituais. Com a ajuda de alguns irmãos, e muitas experiências que tivemos ao longo do ano passado, levantamos e estudamos o que a palavra tem a nos dizer acerca da veracidade do que são, de fato, estes dons tão maravilhosos. Os excessos e erros também são motivadores, uma vez que precisamos urgentemente verificar o que há de real nas igrejas da atualidade. Tudo isso será tratado neste estudo, que se inicia logo abaixo.

 A função dos Dons do Espírito Santo 

"Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens" Efésios 4:8.

A obra de Jesus por nós foi tamanha que, além de nos livrar do pecado e do cativeiro da morte, Jesus ainda nos concedeu dons através do Espírito Santo. Os dons espirituais são as manifestações práticas do mover do Espírito Santo. Quando nos achegamos a Deus e nos comprometemos em cumprir a Sua santa vontade, Deus nos concede habilidades práticas às quais usaremos para cooperar na edificação da Igreja.

Estes dons possuem tão somente esse objetivo: cooperar com o Espírito Santo na edificação do corpo de Cristo. Não acredita? Vamos ver o que a palavra fala sobre isso:

"[...] com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo" Efésios 4:12.

Este texto de efésios mescla dons e ministérios. E isso tem uma explicação também. Os ministérios são, nada mais, nada menos, do que o aperfeiçoamento dos dons concedidos aos homens. Quando o Senhor me concede um dom e eu passo a desempenhá-lo no prática, então o meu serviço se torna um ministério. Este é o conceito bíblico. Portanto, os dons são concedidos aos homens para que se tornem ministérios, para edificar o corpo de Cristo.

Muitas pessoas não creem nos dons espirituais. Estas pessoas negam não apenas as manifestações do Espírito Santo, mas também a própria obra de Jesus na cruz! Negar os dons é negar a natureza de Deus operando e realizando poderosamente no meio da Igreja, e é também negar o evangelho, pois o evangelho "[...] é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê [...]" Romanos 1:16. Esta palavra 'poder', neste versículo, é exatamente o poder milagroso do Espírito que se manifesta através dos dons no meio dos santos de Deus.

Não podemos negar que existe muito excesso por parte de algumas pessoas em relação aos dons (tema que tratamos no fim deste texto), mas também não podemos negar a existência dos verdadeiros e poderosos dons do Espírito.

 Como alcançá-los? 

Os dons do Espírito são distribuídos entre os santos, de acordo com dois pontos principais: a busca individual e a vontade de Deus, vejamos:

"Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á" Mateus 7:8.
"Entretanto, procurai, com zelo, os melhores dons" 1 Coríntios 12:31.

Primeiro devemos buscar os dons. Este versículo de Mateus, por simples que seja, representa bem a questão dos dons. Uma vez que nos colocamos na presença do Senhor e buscamos com intensidade ter essa realidade de vida, o Senhor nos concede essa bênção que são os dons.

A busca individual, portanto, é um aspecto para alcançarmos os dons. O segundo aspecto é a vontade de Deus. Os dons são distribuídos entre os santos, de acordo com a vontade do Espírito.

"Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente" 1 Coríntios 12:11.

O Espírito Santo, em sua infinita sabedoria, sabe das coisas que necessitamos. Ele não nos deixará órfãos. Se na vida prática necessitarmos de alguma habilidade específica para cumprir a vontade do Senhor, certamente o Espírito nos concederá este dom. Neste sentido, podemos também verificar esta palavra em Hebreus:

"[...] e que se torna galardoador dos que o buscam" Hebreus 11:6.

Neste versículo a palavra 'galardoador' significa alguém que premia. Ou seja, quando buscamos o Senhor com a fé de que Ele existe, certamente Ele nos premiará com muitos dons espirituais, de acordo com a sua vontade e necessidade. Para que o Senhor nos conceda estes dons precisamos buscá-lo intensamente em oração.

Há relatos de pessoas que apenas oravam e buscavam o Senhor despretensiosamente, até que Ele os concedeu alguns dons de acordo com sua vontade. Este é o caminho.

Também podemos receber mais de um dom, o que não é incomum. Algumas pessoas possuem vários dons outras apenas um ou dois. Ainda outros não possuem nenhum dom. Conforme dito os dons são distribuídos de acordo com a busca individual e da vontade de Deus. Se buscamos com intensidade pode ser que o Senhor nos conceda mais de um dom.

 As manifestações espirituais: equilíbrio, sensatez e discernimento 

"Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo a fora" 1 João 4:1.

Os espíritos, deste versículo, remetem ao 'espírito' pelo qual alguém opera a sua profecia. Podemos profetizar pelo poder e dom de Deus, mas também existem aqueles que profetizam e operam por outros espíritos. Assim é também com os dons.

Se fossemos verificar qual é o 'espírito' que opera na maioria das manifestações espirituais, certamente tomaríamos um grande susto ao perceber que a maioria do que vemos, nada tem a ver com o Espírito Santo de Deus ou com a Sua vontade. Digo isto não por inveja ou descuidadamente, mas porque a palavra nos mostra algumas premissas que nos ajudam a compreender o que define os dons genuínos de Deus. Assim precisamos provar os 'espíritos' se realmente procedem de Deus.

Antes de falar destas premissas, devemos entender que não necessariamente alguém que está agindo através de dons e profecias está fazendo isso legitimamente pelo Espírito de Deus. Pode acontecer de alguém que recebeu um dom genuíno do Espírito, mas que está agindo descuidadamente. Vejamos na palavra:

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” Mateus 7:22-23.

Este texto mostra bem que as manifestações espirituais, ou seja, as manifestações dos dons, não necessariamente são dirigidas e conduzidas por Deus. Quando o Senhor te presenteia com algo tão maravilhoso quanto um dom espiritual, a nossa atitude não pode ser uma atitude independente e arredia. Precisamos estar inteiramente ligados a vontade de Deus para não fazer obras mortas e sem a aprovação de Deus. Podemos fazer muitas coisas, mas se fazemos isso na nossa força, nenhum proveito terá.

 A utilidade do dom
Uma das formas que temos para provar os dons e comprovar que este dom é genuinamente de Deus, é verificar a utilidade deste dom:

“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil” 1 Coríntios 12:7.

Este versículo de 1 Coríntios é muito interessante. Aqui Paulo nos ensina que a manifestação do Espírito é dada para "o que for útil", ou seja, esta manifestação deve resultar em um resultado prático e verdadeiro. Isso quer dizer que a manifestação dos dons precisa ser específica para algum fim proveitoso na obra e edificação do Corpo de Cristo.

Quando pensamos nos dons (e é aqui que muitos naufragam no erro) devemos ter bem claro em nossas mentes que este dom precisa visar a edificação do corpo de Cristo. Esta é a primeira premissa. Se alguém usa um dom para qualquer outro fim, certamente não pode ser um dom genuinamente de Deus. Igualmente se alguém fala de si mesmo não causará a edificação da Igreja e consequentemente verificaremos que esta manifestação não procede de Deus.

 Dons Espirituais Vs Vontade de Deus 

Outra coisa que devemos entender bem, antes de estudar especificamente cada dom, é a diferença entre Dons Espirituais e a Vontade de Deus. Veja:

Quando falamos dos Dons Espirituais, tratamos o aspecto prático (apesar de espiritual) da obra de Deus. Os dons, que são verdadeiramente distribuídos por Deus, é o que cooperam com a obra do Senhor na prática.

Quando falamos da vontade de Deus falamos da vontade subjetiva de Deus para cada um de nós. É o direcionamento diário e contínuo do Espírito Santo em nossas vidas. Esse direcionamento deve também guiar todos os nossos atos quando recebemos um dom espiritual de Deus. Apesar de possuir os dons (pois são presentes de Deus), temos que confiar a Deus a capacidade e a decisão na hora de realizar qualquer coisa. Devemos nos lembrar que Ele é o cabeça e nós o seu corpo. Assim, Ele é quem deve guiar e dirigir todos os atos da nossa vida.

Toma a nossa vida, Senhor. Seja o nosso cabeça. Faz conosco segundo a tua vontade. Amém!


Comentários