Armadura de Deus: A Espada do Espírito (Efésios 6:17)

#Espada do Espírito #Palavra de Deus #Armas da milícia #Espada #Espírito Santo #Dois gumes #Poderosa em Deus #Espírito #Makaira #Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Características #Significado #Sermão #Efésios 6 #Carta #Bíblia #Epístola #Armadura de Efésios #Armadura de Deus #Armadura do Cristão #Mundo Espiritual #Batalha Espiritual #Guerra Espiritual #Regiões celestes #Estudo de Efésios #Epístola de Efésios #Carta de Efésios #Livro de Efésios

“Tomai também [...] a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” Efésios 6:17.

 Introdução 

A espada do Espírito é uma das armas espirituais citadas por Paulo em Efésios 6. É a única arma de ataque, mas também serve para defesa. Como nos outros estudos da armadura, veremos alguns pontos antes de entrar na prática dessa arma. Hoje veremos sobre a Palavra de Deus.

 A palavra de Deus 

Quando lemos em Efésios sobre a espada do Espírito, também lemos que ela é a palavra de Deus. A palavra de Deus é uma arma de vital importância nessa armadura. Sem ela estaríamos alheios aos ataques do diabo sem possibilidade de nos defender propriamente e muito menos de contra-atacar.

Quando falamos sobre a palavra o que devemos compreender, em um primeiro momento, é que ela precisa habitar a nossa vida profundamente. Nós devemos conhecê-la profunda e amplamente. Paulo, ao escrever aos Colossenses diz: “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo” (Colossenses 3:16a). A palavra precisa habitar em nós ricamente. O cristão que não é conhecedor da palavra certamente sofrerá derrota do diabo. Mas não adianta conhecer a palavra apenas, devemos conhecê-la profundamente.

Existem algumas características da palavra que eu gostaria de citar neste estudo. O primeiro ponto que devemos entender sobre a palavra é que ela é divinamente inspirada. Todos os homens que escreveram a palavra de Deus foram inspirados por Deus para tal (2 Pedro 1:20-21). A palavra de Deus também é perfeita (Salmos 19:7). Ela é perfeita de tal modo que restaura a nossa alma e nos dá sabedoria, conforme o texto do salmo 19. A palavra também é pura (Provérbios 30:5-6). Isso significa que ela não se macula com coisa alguma humana, nem pelo pecado, nem pelo homem. Ela é totalmente gerada por Deus e tem a sua natureza, que é pura.

A palavra de Deus é completa e não necessita de mais nenhuma adição ou subtração (Apocalipse 22:18-19). Aqueles que assim o fizerem padecerão de flagelos e perseguições. A palavra é poderosa por si mesma. Ela não necessita da adição humana. Devemos cuidar para não tiramos nem colocar coisa alguma dela. A palavra de Deus é a autoridade do Senhor na terra (Isaías 1:2a). O Senhor no passado falou por meio de muitos profetas e, mais tarde, através do apóstolos do Senhor. Essa é a verdadeira voz do Senhor ecoando por sobre a terra. Aqueles que a ouvirem que a tratem como tal. Porque a palavra de Deus é eficaz em todos os seus propósitos e não volta vazia, mas cumpre os desígnios do Senhor (Is 55:10-11). A palavra de Deus também é a Verdade que todos os homens procuram (João 17:17). E nos dá sabedoria para andarmos em nosso caminho, como uma lâmpada alumiando o caminho de trevas (Salmos 119:105). Por fim a palavra nos conduz para a salvação em Cristo Jesus, nosso Senhor (2 Timóteo 3:15-17).

 A espada do Espírito 

Finalmente falaremos da espada. A espada aqui é um termo muito interessante e que precisa ser compreendido. A palavra no grego para essa espada é "Makaira" que é uma palavra muito comum, mesmo no Novo Testamento. Há uma outra palavra para espada, que é "romphaia", mas que se refere a uma espada longa. A "Makaira" é a espada mais normal carregada pelos soldados. Elas eram colocadas em uma bainha na cintura e usadas em combate corpo-a-corpo.

Ela também é a palavra usada para descrever as espadas em Mateus 26:47 que estavam nas mãos dos romanos quando eles vieram para prender Jesus no jardim. É a mesma palavra usada para falar da espada com que Pedro cortou a orelha do servo do sumo sacerdote. É também a mesma palavra usada em Atos para matar Tiago, irmão de João. Ela também é a espada usada contra os heróis da fé em Hebreus 11.

É muito significativo o uso dessa espada curta por Paulo. Na prática significa que essa espada precisa ser usada muito perto do inimigo. Por ser uma espada curta e não ter longo alcance. Outro fato interessante é que para usá-la, ao contrário da espada longa, é necessário ter muita habilidade e precisão para acertar os golpes corretamente.

Mas o que tudo isso tem a ver com o principio espiritual? Tudo! O texto de Efésios nos diz que esta espada é a espada do Espírito. E aqui nós devemos ter uma compreensão espiritual da vida com Deus. É muito interessante como Paulo mistura os conceitos de espiritual e da palavra de Deus, pois muita gente separa o espiritual da palavra. Entretanto tanto a palavra quanto o Espírito de Deus testemunham de Cristo. O testemunho de ambos é idêntico porque Deus não mente e não pode mentir. Deus nem mesmo é impreciso ou indeciso, mas exato e perfeito. Entretanto, vemos que a espada é a espada do Espírito. Isso significa que devemos aprender a manejar bem o Espírito de Deus como uma espada, baseados sempre no principio da palavra de Deus. Para tanto é necessário, além de conhecer bem a palavra, gastar muito tempo em oração, jejuns e consagração. Sem oração e comunhão com Deus não seremos aptos a usar esta espada.

Por não é só orar para começar a usar essa arma. A palavra de Deus, no grego, possui duas palavras: logos e rhema. A palavra logos é a palavra escrita nos livros, aquela que é estática. Por outro lado a palavra rhema é a palavra que se move, a palavra viva de Deus agindo em nosso interior. O Espírito é o vento de Deus que sopra em nossos corações e é através da palavra rhema de Deus que essa espada irá cortar e destruir todas as obras do diabo. Não adianta conhecer bem a palavra se não tivermos o direcionamento do Espírito e a revelação da vontade de Deus através dessa palavra rhema.

A espada do Espírito tem sempre um objetivo especifico que visa a destruição das obras do diabo. Ela é a palavra de Deus sendo praticada e aplicada na vida pessoal, ou na comunhão da Igreja, com o fim proveitoso de destruir todas as obras malignas que se levantam contra o conhecimento de Deus e contra o crescimento qualitativo da Igreja do Senhor. Essa arma de ataque é muito mal usada hoje em dia. Motivo pelo qual as obras do diabo continuam influenciando os irmãos e os enganando, pois muitos ainda não tomam a palavra de Deus como a Verdade que é. Essa ambiguidade cristã gera abertura para o diabo atuar e enfraquecer a Igreja.

Existem muitos usos para essa espada. Abaixo vou demonstrar alguns, segundo as escrituras: “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hebreus 4:12).

O primeiro ponto que gostaria de salientar é que a palavra é “apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”. Quando a nossa espada espiritual está afiada teremos a capacidade espiritual de discernir não só pensamentos, como propósitos do coração. Isso é provado no exemplo de Pedro com Ananias e Safira (Atos 5:1-11). Pedro discerniu totalmente, através do o Espírito de Deus, a oferta de Ananias e Safira.

O segundo exemplo interessante de salientar serve para se defender dos ataques do diabo. Vemos que Jesus, ao ser tentado pelo diabo no deserto (Lucas 4:1-13), respondeu ao diabo apenas com a palavra. A palavra aqui, apesar de ser usada na defensiva, também é apta para destruir todas as intensões do diabo. Veja o texto de Coríntios: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão” (2 Coríntios 10:4-6).

Por fim a palavra de Deus é usada para destruição de fortalezas. Esse é um ponto de vital importância, mas que também é muito complicado de se tratar pela enganosa “liberdade” pregada no mundo e na Igreja. Aqui Paulo menciona que a palavra é poderosa para destruir três ataques do diabo: as fortalezas os sofismas e a altivez. A primeira coisa que devemos entender é que o diabo ataca a Igreja através das pessoas. Não pense que o diabo não usa as pessoas. Ele planta irmãos falsos no meio da comunhão dos irmãos, lança pensamentos e idéias nas pessoas para as desviar da Verdade do Senhor.

As fortalezas mencionadas nesse texto são as fortalezas na mente das pessoas. O diabo lança mentiras de tal modo na nossa mente que a palavra fica em segundo plano, entregue aos nossos desejos carnais. Quando isso acontece o diabo atingiu seu objetivo: ele ergue uma fortaleza na nossa mente.

O sofisma também é um ataque na nossa mente, mas diferente das fortalezas, pois é um ataque mais capcioso. É como o que a serpente fez com eva. Ela levantou incerteza no coração de eva ("É assim que Deus disse?"). O sofisma tenta racionalizar uma Verdade da palavra. Ah irmão! Como isso é comum! Infelizmente é aqui que o diabo tem mais êxito no seu ataque a Igreja. Racionalizar a Verdade santa do Senhor é o grande trunfo do diabo, pois assim a palavra se torna infrutífera e sem poder. O sofisma também pode criar novas doutrinas e dogmas piorando ainda mais a mentira do diabo e levando multidões ao engano.

Por fim a altivez, que também é uma arma em nossa mente, é um ataque que tem intensão de colocar em cheque as autoridades instituídas por Deus em meio aos irmãos. A altivez tem muito a ver com a insubmissão.

Todas essas coisas na prática parecem ser inofensivas, mas não se engane. O objetivo de cada uma delas é se levantar contra o real conhecimento de Deus e tornar sua obra infrutífera. A insubmissão é um sinal muito significativo que pode ser considerado. Normalmente irmãos insubmissos dão lugar aos sofismas, fortalezas ou altivez.

 Como remediar estes pontos? 

O remédio de tudo isso é trazer os irmãos a obediência de Cristo, ainda que seja necessário exortar (punir) o desobediente e trazer à luz alguma situação específica. Veja que aqui a nossa luta hora nenhuma é contra a carne ou sangue, mas contra os principados e potestades. E uma vez que alguém dá lugar ao diabo este se torna repreensível e precisa se submeter a vontade de Deus. Nesse sentido é interessante falar sobre a exortação. Esta é uma prática perdida hoje em dia. A ética cristã ocidental não nos permite exortar um ao outro, pois somos muito perfeitos para receber exortação. Veja que isso também é um sofisma do diabo para nos enfraquecer. Por outro lado a exortação precisa ser guiada pela espada do Espírito que é espiritual e divina. A exortação carnal não tem lugar na Igreja de Deus.

Outro ponto que devemos falar é acerca dos dons espirituais. Neste sentido podemos citar a Palavra da Sabedoria (clique aqui para ler nosso estudo sobre este dom). Este dom é maravilhoso e vemos muita semelhança entre ele e a espada do Espírito. Ele é o mover prático e atuante da Espada do Espírito no meio do povo de Deus.

Comentários