A Igreja dos Últimos Dias: Corrompidos na mente, réprobos quanto à fé (2 Timóteo 3)

#Estudo #Esboço #Explicação #Sermão #Mensagem #Pregação #Meditação #Devocional #O que é #Significado #Comentário #Bíblia #Santidade #Carta #Epístola #Timóteo #Igreja #Últimos dias #Tempo do fim #Fim dos tempos #Fim dos dias #Final dos tempos

"Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões; que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade. E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés, também estes resistem à verdade. São homens de todo corrompidos na mente, réprobos quanto à fé; eles, todavia, não irão avante; porque a sua insensatez será a todos evidente, como também aconteceu com a daqueles" 2 Timóteo 3:6-9.

 Introdução 

Esta é a segunda parte do estudo A Igreja dos Últimos Dias. Nesta parte falaremos com maior clareza e propriedade sobre as reais características das pessoas do nosso tempo e sobre como elas são reprovadas em todas as suas obras. Paulo não poupou palavras para demonstrar a situação degradante das pessoas deste tempo. Igualmente, devemos perceber a devassidão e corrupção desta era.

Se preferir você pode ler a primeira parte deste estudo antes de prosseguir com a leitura. A primeira parte trata sobre A aparência da piedade e é uma excelente reflexão sobre nós mesmos, sobre quem são as pessoas à nossa volta e quais as características destas pessoas.

 A sensualidade 

"Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões" 2 Timóteo 3:6.

A primeira característica que Paulo descreve é a sensualidade. Paulo descreve que estas pessoas penetram nas casas e cativam mulheres sobrecarregadas de pecados. Lembre-se que esta descrição refere-se aos irmãos deste tempo e não aos incrédulos. Vivemos um tempo onde a sensualidade é uma realidade. Os escândalos no meio dos irmãos e pastores são muito recorrentes e são relacionados, na maioria das vezes, ao pecado sexual.

A sensualidade destas pessoas apenas reafirma a realidade em que vivem e o estado de degradação em que as denominações estão inseridas. Sobre este tema podemos também citar as palavras de Judas em sua carta, que também trata sobre estas pessoas:

"Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo, os quais vos diziam: No último tempo, haverá escarnecedores, andando segundo as suas ímpias paixões. São estes os que promovem divisões, sensuais, que não têm o Espírito" Judas 18-19.

Judas argumenta que estas pessoas possuem três características: promovem divisões, são sensuais e não têm o Espírito. Hoje em dia nós vivemos a realidade da maior divisão que a Igreja do Senhor já viveu sobre a terra. São inúmeras denominações e incontáveis ceitas cristãs, além da Igreja Católica. Cada uma buscando e operando conforme sua própria vontade. Salomão já havia nos dito que "àquele que se separa, busca seu próprio interesse além de se afastar da sabedoria dos justos" Provérbios 18:1. Tiago também nos mostra que o sentimento faccioso não é sabedoria do alto, antes terrena e demoníaca (Tiago 3:14-16).

O verdadeiro sentimento que deveria haver em nossos corações é o da unidade verdadeira e espiritual que une todos os que são nascidos de novo. Todas as regras, preceitos e rituais de homens deveriam ser expurgados e banidos do meio da congregação. Paulo nos incita a nos esforçar "diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz" Efésios 4:3. Ele não se debruça pela causa de um grupo em específico como vemos ultimamente, mas ele nos chama a preservar a unidade do Espírito no vínculo da Paz. Sabemos que a Igreja é só um corpo e que não há divisões nem subdivisões neste corpo. Devemos andar em comunhão uns com os outros independentemente de denominação ou credo teológico. A diferença apenas nos aperfeiçoa e nos leva ao pleno conhecimento da Verdade.

O resultado de pessoas sensuais e divididas entre si é a ausência do Espírito Santo. Hoje temos muitos templos, muitas pessoas, muito glamour, muita festa, mas o Espírito Santo está do lado de fora esperando uma oportunidade para falar. Sabemos muito e fazemos ainda mais, porém não permitimos que o Espírito fale ao nosso coração. Devemos nos arrepender no pó e na cinza voltando a nossa atenção ao Espírito Santo para que assim ele, no seu modo e tempo, faça e opere todas as coisas. O Senhor é o nosso sábado em quem podemos descansar. Aos seus amados Ele dá enquanto dormem.

 O conhecimento da Verdade 

"[...] que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade" 2 Timóteo 3:7.

Ao contrário do que pode parecer no versículo sete Paulo não está se direcionando as mulheres cheias de pecados. Este versículo é uma continuação do comentário sobre os homens que são corrompidos na mente e réprobos quanto a fé.

Interessante a citação de que eles, apesar de aprenderem sempre não podem chegar ao conhecimento da verdade, pois é também uma grande realidade em nossos dias. Existe hoje uma tendência mundana de estudo exacerbado e da cultura do conhecimento. Porém, isto nada tem de espiritual sendo, por outro lado, característica de uma cultura egoísta e egocêntrica. O conhecimento nos difere das pessoas à nossa volta e por isso nos torna especiais. Assim, estas pessoas estudam não com o intuito de aprenderem e crescerem em Deus, mas para se mostrarem sábios aos olhos dos homens. É como faziam os fariseus com seus trajes especiais, pois eles faziam "[...] todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens; pois alargam os seus filactérios e alongam as suas franjas" Mateus 23:5. Em nosso tempo, porém, ao invés de usarmos roupas especiais cheias de franjas e filactérios, usamos o nosso conhecimento humano.

As pessoas que seguem este caminho jamais chegarão ao conhecimento da verdade, pois esta não é carnal senão espiritual e concedida por Deus através da revelação que vem do alto, conforme Paulo nos mostra na carta aos Gálatas: "Faço-vos, porém, saber, irmãos, que o evangelho por mim anunciado não é segundo o homem, porque eu não o recebi, nem o aprendi de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo" Gálatas 1:11-12. O conhecimento da verdade, dessa forma, apenas pode ser concedido por Deus que se revela a quem ele quiser no momento em que quiser e da forma que desejar.

 O exemplo de Janes e Jambres (Êxodo 7:11) 

"E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés, também estes resistem à verdade" 2 Timóteo 3:8.

O exemplo usado por Paulo para exemplificar estas pessoas é bem duro. Paulo cita Janes e Jambres, que nem mesmo são citados em outras passagens bíblicas no Novo ou no Velho Testamento. De acordo com a tradição judaica Janes e Jambres eram os magos egípcios que resistiram a Moisés no Egito. Os capítulos sete, oito e nove de Êxodo fazem menção destes magos e de como usaram as suas ciências ocultas para tentarem se igualar a Moisés e Arão.

O mais interessante deste exemplo é que Janes e Jambres conseguiram imitar vários dos sinais feitos por Moisés e Arão diante de Faraó. Este é ainda um princípio hoje em dia. Aqueles que tem apenas aparência de piedade se parecem muito com aqueles que são sinceros diante de Deus. O livro de Mateus no ensina que nos últimos dias "surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos" Mateus 24:24. Estas pessoas serão tão boas em enganar que mesmo os escolhidos estarão sujeitos a sua enganação. E eu digo que, infelizmente, grande parte da cristandade de hoje se passa por Janes e Jambres. Vivemos tempos em que as pessoas resistem à verdade por motivos interesseiros.

Nesse contexto é interessante notar que alguém que possui um dom espiritual não necessariamente faz a vontade de Deus. São duas coisas diferentes. Muitas pessoas, que um dia foram usadas por Deus, deixam-se vencer pelo pecado, pelo mundo ou por si mesmos e continuam seu ministério normalmente. O dom é concedido como um presente àquele que o busca, mas deve ser usado também com sabedoria e direcionamento de Deus. Do contrário seremos apenas falsos profetas andando e fazendo conforme a nossa vontade, ao passo que nem mesmo Jesus fez dessa forma: "Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou" João 6:38.

A saída é buscar a vontade de Deus. No Egito a vontade de Deus era que seu povo fosse ao deserto para o servir e o adorar. E podemos notar nos capítulos sete, oito e nova de Êxodo que em todas as pragas Deus direcionou exatamente o que Moisés e Arão deveriam fazer. Por mais que Moisés houvesse sido criado em meio a corte egípcia e, provavelmente conhecesse todos os trâmites políticos da época, ele se fez manso aguardando de Deus todo o direcionamento para tratar com Faraó. É disso que precisamos, de mansidão para que Deus nos use conforme a Sua santa vontade.

 Corrompidos na mente 

"São homens de todo corrompidos na mente, réprobos quanto à fé" 2 Timóteo 3:8.

Talvez uma das maiores características deste tempo é que a maioria dos irmãos tem se perdido na mente. E isso não é algo novo. Paulo já nos havia advertido neste texto de Timóteo que isso haveria de acontecer. Hoje vivemos o tempo de homens corrompidos na mente e essa corrupção significa que estes homens perderam o estado original da vida com Deus. Eles decaíram da graça e da revelação de Cristo que nos foi dada de uma vez por todas pelo nosso senhor e salvador Jesus Cristo e pelos apóstolos do Cordeiro. Hoje a perdição da Igreja do Senhor não se manifesta apenas naquilo que se vê. A maior corrupção dos cristãos está na sua mente. Estas pessoas distorcem a palavra da verdade para darem ouvidos a espíritos enganadores que engodam diariamente a sua mente. Isso porque eles buscam mestres segundo as suas próprias concupiscências para satisfazerem tão somente o seu próprio ventre: "Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas" 2 Timóteo 4:3-4. Eles têm a mente depravada e distorcida da verdade. Sua vida não se baseia na palavra, mas naquilo que eles próprios acreditam.

As fábulas são o maior motivo desta corrupção. Fábulas são mentiras que se passam por verdade e que nós cremos ainda que sem nem ao menos recorrer à palavra para verificar a sua veracidade. O caso mais claro que consigo me lembrar é famoso versículo que supostamente diz: "faça tua parte e eu lhe ajudarei". Não existe nenhuma citação bíblica com estas palavras e nem mesmo com este teor. O que existe é: "Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará" Salmo 37:5. Veja que a verdade da escritura foi transformada em uma fábula que é mentirosa. Apesar deste ser um exemplo extremo existem ainda muitos outros casos que consideramos como verdades, mas que na verdade também se constituem como fábulas. Tudo aquilo que é invenção do homem e que não possui base bíblica é uma fábula.

Veja que a própria estrutura das denominações se constituem sobre muitas fábulas. Veja alguns exemplos: a Igreja do Senhor é um só corpo, mas vemos várias denominações e conglomerados evangélicos divididos; o serviço a Deus é de todos, mas vivemos no tempo do ministério profissional, onde apenas alguns servem a Deus como pastores enquanto os outros são apenas as ovelhas que são pastoreadas; a teologia da prosperidade prega que o crente deve ser próspero nesta terra, sendo que a palavra nos ensina a guardar tesouros no céu (Mateus 6:20); as pessoas dizem que Deus deseja a nossa felicidade, enquanto a palavra nos fala que "bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós" Mateus 5:11. Sendo que o significado de 'bem-aventurado' é literalmente 'mais do que feliz'.

Se a nossa justiça não exceder em muito a justiça dos escribas e fariseus como alcançaremos a realidade do Reino de Deus? Devemos nos ater tão somente às escrituras e ao poder de Deus que nos revela todas as coisas, pois do contrário viveremos baseados apenas em mentiras e nas fábulas dos homens.

 Réprobos quanto à fé 

"[...] eles, todavia, não irão avante; porque a sua insensatez será a todos evidente, como também aconteceu com a daqueles" 2 Timóteo 3:9.

"Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade" Mateus 7:22-23.

O resultado dessa vida é que estas pessoas são reprovadas por Deus e por isso não subsistirão no dia do Julgamento. A grande característica dessas pessoas é a iniquidade. Por iniquidade entende-se pessoas que conhecem a verdade, porém não a praticam ou não vivem conforme a sua palavra. O evangelho para estes tais é filosófico e não alcança suas vidas. Estas pessoas são reprovadas porque rejeitam o poder de Deus que nos transforma e santifica. Conhecer o evangelho de nada adianta se não nos esforçamos a conquistar este reino. Pois, "[...] se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador? Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem" 1 Pedro 4:18-19.

Ao contrário do que muitos pensam, a salvação não é tão simples e certamente não é tão fácil de ser alcançada (clique aqui leia mais sobre esta salvação no estudo "A salvação de Deus"). A salvação é mais uma fábula do nosso tempo e certamente os iníquos terão muita dificuldade no dia do julgamento de Deus. Certo é que "[...] esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo" 1 Coríntios 3:15.

 Conclusão 

O que fazer em meio a tanta degradação? A resposta talvez esteja em uma das cartas de Apocalipse. A carta à Igreja em Pérgamo nos mostra uma realidade extrema, veja: "Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita" Apocalipse 2:13. Uma realidade extrema para os irmãos de Pérgamo, que viviam no lugar onde estava o trono de Satanás. Todas as críticas contra esta Igreja se refletem muito dos pontos descritos neste texto. 

O que mais chama a nossa atenção para a Igreja em Pérgamo, entretanto, é este personagem chamado Antipas. Ele, segundo a história católica, foi um mártir cristão que se recusou a oferecer sacrifícios aos deuses pagãos de Pérgamo e ainda pregava a palavra da Verdade. Ele foi capturado e posto dentro de um touro de bronze para ser queimado e morto. Ele não deu ouvidos aos sacerdotes e mesmo em face da morte certa não negou o nome do Senhor. Veja que mesmo em um ambiente tão degradante ele foi vitorioso. E mesmo que tenha morrido ele o fez para glorificar o nome do Senhor e é lembrado por seus irmãos dois mil anos depois da sua morte. Não para que nós o venerássemos, mas para que o seu exemplo seja vivo também em nós que vivemos em uma época degradante em meio ao trono dos homens. Devemos usar este exemplo e não nos amoldar aos padrões do homens ainda que sejamos atribulados ou tidos por loucos. Antipas foi o servo fiel e coroado de honra por Deus antes mesmo de ser por Ele ressuscitado dos mortos. O seu nome Antipas, significa "contra todos". Esta deve ser a nossa atitude. Ir contra a corrente religiosa em prol da vontade de Deus ainda que a nossa atitude seja contra tudo e contra todos.

Comentários