A salvação: A graça salvadora (Tito 2:11)

#Tito 2 #1 Pedro #Porvir #Capacete da Salvação #Abraão #Promessa #Esperança #Pai da Fé #Penhor #Herança #Último Tempo #Mensagem de salvação #Salvação #Plano da salvação #Justificação #Salvação em Jesus #Reconciliação #Palavra de Salvação #Sobre a salvação #Jesus a salvação #Mensagem de salvação #Salvação #Plano da salvação #Estudo Salvação #Justiça #Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Significado #Sermão #Pregação #Palavra #Meditação #Devocional #Bíblia

 Introdução 

Este é um estudo que tentará se aprofundar um pouco mais sobre os aspectos verificados nas escrituras acerca da salvação. Este conceito 'salvação' tem caído em uma mentira de satanás através dos anos, que tenta nos enganar para que não alcancemos a realidade daquilo que Deus deseja nos revelar através dessa poderosa salvação de Deus.

A salvação não é uma experiência estática e passada, mas é uma realidade constante em nossa vida cristã. Nós homens temos uma percepção de tempo diferente da percepção de tempo do Senhor. Por isso muitas vezes não conseguimos entender como essa salvação funciona. Percebendo sob o prisma humano, a salvação possui três aspectos distintos: o passado, o presente e o futuro. Hoje trataremos do aspecto passado, a graça salvadora mencionada na carta a Tito.

"Porque a graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens" Tito 2:11.

O primeiro aspecto da salvação é o passado, a obra que o Senhor Jesus realizou por nós na cruz. O livro de Efésios capítulo 2 nos mostra que pela misericórdia de Deus nós fomos vivificados juntamente com Cristo, mesmo ainda estando mortos em delitos e pecados (Efésios 2:4-6). O livro de Tito, no capítulo 2, também nos diz que a graça salvadora de Deus foi manifestada a todos os homens (Tito 2:11).

Essa graça foi manifestada através do sacrifício de Jesus por nós. Ele é a nossa redenção. A profecia de Isaías acerca do tempo do Cristo também é clara a este respeito e diz: "A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse" Isaías 40:5. Jesus é a glória de Deus que foi manifesta ao mundo. Ele é a salvação do Deus para todos aqueles que crerem. Além disso, a obra de Jesus nos preparou de antemão para que pudéssemos viver a realidade da vida e a comunhão com nosso Deus.

O sacrifício de Jesus é totalmente capaz de mudar a nossa vida e realidade cotidiana, nos ensinando e guiando em todas as coisas. Uma prova disso é o discurso de Jesus ao ressuscitar: “Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus” (João 20:17). Antigamente estávamos separados de Deus, mas após a ressurreição de Jesus Ele mesmo diz: Meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. Glória ao Senhor Jesus por essa obra tremenda! Em sua morte e ressurreição Jesus realizou todas as coisas e corrigiu tudo aquilo que era necessário que fosse justificado, aplainado e corrigido.

E não foi apenas isso! Jesus realizou muitas obras que nós talvez nem saibamos que ele realizou por nós na cruz. Vejamos alguns exemplos do que Ele fez por nós: 

 A reconciliação 

Cristo reconciliou a nossa comunhão com a comunidade de Israel, e nos uniu em um só corpo: “ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade” (Efésios 2:14-16). E ainda: “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações” (Colossenses 3:15).

Isso significa que não mais estamos separados da assembléia dos remidos de Deus, como outrora estávamos, mas agora fomos unidos em um só corpo através do sacrifício de Jesus Cristo, que estabeleceu, de uma vez por todas, a nossa paz. Assim tanto os judeus que estavam 'perto', quanto nós que estávamos 'longe', fomos unidos pelo sacrifício do Senhor Jesus. O Senhor aboliu a lei dos mandamentos fazendo um novo Adão e uma Nova Aliança e estabeleceu a paz entre homens e paz entre os homens e Deus.

 A justificação 

Justificação é a ação de Deus em nos imputar a sua justiça para que possamos ser agradáveis aos seus olhos e aprovados de acordo com seu padrão de justiça. Sua justiça é o padrão, não a nossa. Essa justificação se baseia no resgate de Jesus Cristo, que morreu por nós na cruz. Assim a sua justificação se baseia em um ato de justiça, que foi a morte de Jesus por nós. É baseado nessa realidade celeste que podemos nos achegar diante de Deus justificados, isto é, justos diante de Deus.

 O sacrifício derradeiro 

O Senhor Jesus resolveu o problema do pecado. Hoje nós não somos mais escravos do pecado, pois não vivemos mais na carne, mas no espírito (Romanos 8:3-4). Jesus foi o sacrifício perpétuo pelos nossos pecados e tratou o pecado na carne. Ele é o cordeiro de Deus que tirou o pecado do mundo (João 1:36), conforme menciona João Batista. O Senhor é o sacrifício perfeito, Ele nos purificou de uma vez por todas, para que andemos em santidade. 

 Feitos filhos de Deus 

Deus também fez de nós seus filhos, a todos quantos creram em Jesus. Aqueles que não nasceram da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus (João 1:12-13). Quando nascemos de nossas mães naturais nada mais somos do que filhos naturais, de pais e mães naturais. Entretanto quando vemos o reino de Deus, somos batizados e nascemos de novo, conforme a palavra de Jesus a Nicodemos, nós nascemos de Deus. É como nascer de novo, uma vida totalmente nova que nasce. Não é uma vida natural, mas uma vida espiritual vinda de Deus que nos vivifica. É a vida que Deus nos dá. 

 Nova criação em Cristo 

Fomos feitos nova criação em Cristo, todas as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo (2 Co 5:17). Quando nascemos de novo a nossa vida anterior é lançada no mar do esquecimento. Todo o nosso pecado é perdoado e nós somos justificados diante de Deus. Mesmo que nós não mereçamos, nós somos feitos justiça. A justiça de Deus não é a nossa justiça, portanto não se baseia em justiça humana. Compreender essa realidade é um grande passo na vida cristã. Muitos ainda se acusam de muitas coisas do passado, mas podemos ter certeza que, ao nascer de novo, somos feitos criação de Deus e tudo é novo e justificado. 

 Unidos em um mesmo Espírito 

Fomos unidos ao Senhor em um mesmo Espírito (1 Co 6:17). Quando Jesus ressuscitou e enviou o Consolador, Ele não veio como um fantasma que fala conosco de maneira mística, mas Ele vem fazer em nós morada. É maravilhoso pensar que somos unidos a Jesus Cristo, o nosso Senhor, pelo mesmo Espírito de Deus! Fantástico! O mesmo Espírito que o envolvia há dois mil anos é o mesmo que fala comigo e contigo. E não é só isso. Estamos unidos a Deus e a Jesus por esse mesmo Espírito. Através da obra de Jesus temos uma ponte que nos liga ao Senhor. Glória a Deus!

 Conclusão 

Tudo isso e muito mais o Senhor Jesus fez por nós na cruz ao derramar seu precioso sangue. O trabalho de Jesus na cruz foi perfeito e completo e nos preparou de antemão para que andássemos de modo digno em Sua santa presença. Por isso hoje somos aptos a viver inteiramente a glória do Reino de Deus. Não aceite viver uma vida cristã derrotada, mas movido pelo que o Senhor fez por nós na cruz, viva inteiramente na presença e na graça a nós concedida pelo Senhor Jesus.

Comentários