Mas para vós outros nascerá o sol da justiça | Malaquias 4:2


Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria | Malaquias 4:2

A meditação de hoje será a continuação da meditação de Malaquias 4:1, Pois eis que vem o Dia e arde como fornalha. Caso não tenha lido, dê uma olhada. A continuação deste texto é uma promessa maravilhosa. Se para os soberbos e para os que praticam o mal este Dia trará fogo e os queimará, para aqueles que temem verdadeiramente o nome do Senhor, nascerá o Sol da Justiça que fará justiça aos seus remidos e revelará a eles a salvação que fora largamente profetizada e anunciada por santos, apóstolos e profetas durante seis mil anos de história.

A salvação é o grande tema das escrituras sagradas. E eu me pergunto porque ela é tão negligenciada em nossos dias. Hoje se alguém deseja ser salvo ele apenas visita uma denominação, recebe uma oração e sua salvação está concretizada. Porém, o apóstolo Paulo nos indica um caminho que vai muito além dessa salvação humanista que temos nos nossos dias. Veja: "[...] para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos" Filipenses 3:10-11.

Aqui percebemos que o aspecto da salvação, mediante a luz da palavra de Paulo, é muito mais profundo do que vemos por ai. Ele indica que deseja conhecer Jesus e a comunhão com os seus sofrimentos, conformando-se a Ele em sua morte, para de alguma forma encontrar, no último dia, a ressurreição dos mortos. Esta palavra também confirma os ensinos de Jesus: "Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me" Lucas 9:23.

Ou seja, as palavras de Jesus e de Paulo nos indicam que existe um caminho elevado na palavra de Deus que nos levará a nossa completa e derradeira salvação. Mas para isso é necessário seguir os passos de Jesus, que inevitavelmente nos conduzirão à cruz. Assim como Ele passou pela cruz, morreu e ressuscitou, todos que desejarem ser ressurrectos juntamente com Ele deverão também seguir o caminho da cruz. É esta salvação que Jesus nos promete.

É claro que a salvação é pela fé e não se baseia naquilo que realizamos, porém o desejo final de Deus não é somente salvar o homem do inferno. Deus tem um propósito muito maior para a Igreja que é exaltar o Seu santo nome no meio dos homens. Ele deseja que, assim como Cristo, nós os que cremos no nome de Jesus, sejamos igualmente a luz deste mundo. Essa confusão é explicada pela falta de compreensão das escrituras, que nos falam sobre a primeira e a segunda ressurreição. Somente terão parte na primeira ressurreição aqueles que seguirem os passos do Cordeiro e o seguirem ao caminho final da cruz. Mas porque tudo isso é importante para nós?

Nós vivemos a última era da Igreja, a era da Igreja de Laodiceia. Isso significa que a maioria de nós não verá a morte antes que Jesus venha. Assim, aqueles que não andarem conforme estas coisas serão deixados para trás durante a grande tribulação e sofrerão as tormentas deste tempo. Não é hora de nos acovardar em nossas concupiscências e desejos lascivos. Se assim fizermos, não teremos parte na primeira ressurreição nem no arrebatamento que aguarda os vencedores de Laodiceia.

Mas para aqueles que correrem para o alto, com fé e equidade, buscando a conformidade de Cristo em sua morte, encontrarão naquele dia o indubitável prêmio da nossa jornada e estaremos diante de nosso Pai e do Cordeiro nos Céus e reinaremos com Cristo durante mil anos. A promessa da salvação é o maior prêmio e a maior realização dos homens sobre a terra. E desde os tempos de Enoque, os filhos de Deus se debruçam para entender o mistério que é esta tão grande salvação. Temos a grande honra histórica que é ver com nosso olhos o desenrolar de todo o plano de Deus. E podemos até fazer parte daquilo que Ele deseja em nosso tempo, se nos dedicarmos a viver de forma digna da vocação que recebemos.

A salvação pertence a Deus e ao Cordeiro e isso precisa permear a nossa mente. Se ela não nos pertence, como será que estamos tao certos desta salvação? Veja que Paulo, mesmo sendo tão usado por Deus, não julgou ser apto para ser salvo naquele dia, mas se desfez de si mesmo se conformando com os sofrimentos de Cristo para de alguma forma maravilhosa, ser encontrado digno da ressurreição. A salvação deve tomar a nossa mente dessa forma. Subir a montanha com mãos limpas e um coração puro. Não julgue ter alcançado esta maravilha, meu irmão. A salvação pertence a Deus e Dele não se zomba. Aquilo que o homem semear, certamente será isso que ceifará. Se plantarmos justiça, certamente colheremos o nosso prêmio. Mas se nossa semeadura for como as dos insensatos, certamente colheremos fogo ardente.

Postar um comentário

0 Comentários