Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução | Efésios 5:18


A meditação de hoje é uma reflexão sobre um tema muito discutido em nossos dias que é sobre a possibilidade do cristão de ingerir bebidas alcoólicas. Claro que esta meditação não chegará a uma conclusão definitiva sobre este tema, mas vale a observação deste versículo para chegarmos em uma conclusão ou perto disso.

Primeiramente deve ficar bem claro que beber vinho, cerveja ou qualquer bebida alcoólica não é pecado. Não há nenhuma passagem que diga que não devemos ingerir este tipo de bebida. Paulo, aliás, aconselha Timóteo a tomar um pouco de vinho: "Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades" Timóteo 5:23.

Sendo assim, a nossa discussão não é sobre beber ou não beber, visto que não é pecado ingerir essas bebidas. Nossa discussão é sobre a embriaguez e sobre nos encher do Espírito.

 Não vos embriagueis 

E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito | Efésios 5:18

Até o dia de hoje eu entendia este versículo da seguinte forma: não devemos nos embriagar se bebemos o vinho em que há dissolução. Eu entendia que o problema não era se embriagar, mas se o vinho era ou não dissoluto. O sentido real deste versículo, entretanto, é mais ou menos assim: não vos embriagueis com vinho, pois isto é dissolução. O fato de nos embriagar, por si só, é um ato dissoluto.

Mas o que viria a ser algo dissoluto? O sentido desta palavra tende a um ambiente de promiscuidade e permissividade. É aquele ambiente que existe quando há muita bebida envolvida. Além de permissividades e promiscuidade, também pode haver confusões, contendas e todo tipo de carnalidade.

Este não é o ambiente ideal do cristão. É por isso que, apesar de não ser pecado, devemos ter cuidado redobrado com a bebida. A bebida pode nos levar a situações que nos farão cair em pecado e por isso, se possível, é melhor que seja evitada. Paulo também nos ensina uma contra-partida.

 Enchei-vos do Espírito 

A contra-partida que Paulo nos apresenta é nos encher do Espírito Santo. Enquanto gastamos nosso tempo em dissoluções e bebedices deveríamos estar gastando nosso tempo nos enchendo mais de Deus. É interessante que uma coisa não existe sem a outra. É importante ser criterioso quanto a bebida, mas ainda mais importante nos encher do Espírito. Não fará a menor diferença para nós apenas sermos controlados neste ponto. Devemos nos encher do Espírito, pois somos seres espirituais.

Paulo também nos ensina a como nos encher do espírito. Veja: "falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo [...]" Efésios 5:19-20.

O contrário desse ambiente de dissolução é o ambiente do Espírito e a forma de adentrar neste ambiente é através de salmos, hinos e cânticos espirituais. Muito simples, na verdade. Não é uma receita, mas uma realidade prática. A palavra fala que Deus "[...] habita entre os louvores de Israel" Salmo 22:3. Devemos sempre estar na presença do Senhor e isso com as armas que Deus nos deu que são os hinos e cânticos espirituais. Em comunhão com a Igreja santa e remida louvando e brandando a Deus com toda sinceridade e singeleza em nossos corações seremos cheios do Espírito Santo e todas estas coisas não farão a menor diferença.

Postar um comentário

0 Comentários