O reino dividido contra si mesmo (Marcos 3)

#Evangelho de Marcos #Marcos 3 #Marcos capítulo 3 #Livro de Marcos #Estudo de Marcos #Evangelho de Marcos #Capítulo 3 #Estudo #Explicação #Esboço #O que é #Comentário #Pregação #Meditação #Devocional #Mensagem #Bíblia #Reino dividido #Casa dividida

Leitura: Marcos 3:20-30; João 17:21; Gálatas 5:19-21.

“Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir” Marcos 3:24-25.

Essas palavras de Jesus, neste discurso que se passa dos versículos 20 a 30 do capítulo 3 de Marcos, são riquíssimas e por isso eu dividi essas palavras em três partes. Hoje veremos o que o Senhor nos ensinou quando ele disse a respeito do reino dividido.

Como vimos (no estudo anterior), nesta passagem os escribas judeus blasfemavam contra o Senhor e contra sua obra dizendo que ele expulsava demônios e curava pelo poder de Belzebu. A sua resposta foi cortante e cheia de sabedoria. Uma das coisas que Jesus disse foi que: “Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir” Marcos 3:24-25.

Neste trecho Jesus está se referindo ao império das trevas. Ele quer dizer que se está expulsando os demônios pelo poder de satanás, então este reino está dividido e não pode subsistir. Esta foi uma explicação de Jesus para provar que seu poder era advindo do Espírito Santo e de Deus. Porque não existe possibilidade de satanás expelir satanás. A única forma de expelir os espíritos malignos é através do poder de Deus.

Outro exemplo semelhante é a torre de babel em Gênesis capítulo 11. Por ser um o povo e o intento do seu coração, eles alcançariam tudo que almejassem. Por esse motivo o Senhor confundiu suas linguagens a fim de os espalhar pela terra.

Baseado neste princípio eu gostaria de chamar a atenção sobre a Igreja do Senhor, pois este principio também se aplica a nossa casa. Quando a Igreja está unida e em unidade (pois são coisas diferentes) então o mundo é subjugado pelo poder de Deus. Isso, porém, não acontece em nossa realidade no Brasil, pois não somos unidos e não temos unidade (em geral).

Este tema é tão vital na vida do corpo de Cristo, que foi motivo de oração há dois mil anos quando Jesus orava no Getsêmani, horas antes de ser preso e crucificado: “[...] a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste” João 17:21.

O grande problema é que nós deixamos de ser um único corpo para servir às doutrinas dos homens. Quando levantamos uma bandeira, independente de quão boa ela seja, declaramos que não somos mais um único corpo e acabamos criando facções. E o que são as facções senão as obra da carne (Gálatas 5:19-21)? Hoje em dia as denominações estão se tornando, cada vez mais, facções divididas. Mas não é bom que seja assim.

Muitos falam sobre a unidade da Igreja e apresentam muitas fórmulas para mudar o pensamento das pessoas, mas a única coisa que precisa ser mudada é a nossa própria consciência. Quando cremos e pregarmos unicamente o corpo de Cristo, a Igreja do Senhor única, viva e tremenda, então damos um passo em direção a esta tão almejada unidade.

Comentários