O culto racional: Sacrifício vivo, santo e agradável (Romanos 12:1)

#Estudo #Esboço #Explicação #Sermão #Mensagem #Pregação #Meditação #Devocional #O que é #Significado #Comentário #Bíblia #Santidade #Mundo #Trevas #Romanos 12 #Não vos conformeis #Não vos amoldeis #Século #Vontade de Deus #Culto Racional #Sacrifício

"Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional" Romanos 12:1.

 Introdução 

Depois de alguns dias de meditação nos primeiros versículos de Romanos 12 chegamos a esse estudo sobre o culto racional. É muito interessante falar sobre a razão na vida com Deus, uma vez que esta é espiritual. Hoje, infelizmente, existe muito confusão sobre como o crente deve agir em relação a sua razão. Tudo isso, porém, tentaremos verificar neste estudo sobre o culto racional e verificar o que, à luz da palavra, Paulo nos incita a fazer para servirmos a Deus com a nossa razão.

 Escolhendo ser o sacrifício 

O texto se inicia com um pedido de Paulo aos irmãos de Romanos, um apelo. Podemos perceber o tom que Paulo trata os irmãos a partir da primeira palavra do texto que é 'rogo-vos'. Esta palavra exprime uma súplica aos irmãos e esta súplica, por sua vez, objetiva aquilo que fazemos com a nossa vida diariamente.

Paulo está tratando de um tema muito conhecido dos judeus que é o sacrifício. Mas o que ele pede como sacrifício não é um animal, mas o nosso próprio corpo. Paulo está suplicando aos irmãos que seus corpos sejam oferecidos completamente a Deus. Se assim fizermos sacrificaremos a nossa vida por inteiro, pois tudo está retido em nosso corpo. Assim o nosso sacrifício deve corresponder todas as áreas do nosso corpo, ou seja, todos os meus membros, as minhas habilidades, escolhas, e tudo aquilo que está em nossas vidas.

Uma característica que Paulo cita é que nós mesmo devemos nos apresentar como sacrifício. Este sacrifício procede, primeiramente, da escolha do homem como o seu culto racional. Se não escolhermos viver uma vida de sacrifício a Deus o Espírito nunca irá tomar lugar em nossa vida. Ele nunca irá invadir a nossa vida contra a nossa vontade. Ele não trabalha dessa forma.

Assim para nos sacrificarmos a Deus nós devemos tomar a iniciativa de nos apresentar a Ele em sacrifício. Todas as áreas da nossa vida devem estar debaixo da vontade de Deus em sacrifício a Ele. Veja que o sacrifício não tem escolhas e desejos. Ele não tem vontades nem planos. Ele apenas permite que o fogo o queime para que o cheiro suave suba a Deus como aroma agradável. Não se trata de fazer alguma coisa boa. Trata-se de morrer para a nossa vontade e permitir que o fogo nos queime por completo.

 Sacrifício vivo, santo e agradável a Deus 

O sacrifício do nosso corpo possui três características distintas: vivo, santo e agradável. Vejamos um pouco sobre cada uma destas características.

 Sacrifício Vivo 

Este sacrifício é vivo, pois não precisaremos ser oferecidos sobre o altar das oferendas no templo de Salomão para que nosso corpo físico seja literalmente queimado. Isso não faria sentido algum, pois se perdermos nossa vida então não mais serviremos a Deus. Sendo assim, este é um sacrifício vivo e que faremos diariamente em nossas vidas e caminhada.

 Sacrifício Santo 

Também precisamos oferecer nosso corpo em sacrifício de santidade. O sacrifício precisa santificar todo nosso corpo. A palavra santidade significa 'separação' no original. Isso significa que para ofereceremos o nosso corpo em santidade a Deus devemos separá-lo deste mundo e das coisas pecaminosas deste mundo. Devemos considerar todo o nosso corpo e capacidades como sendo exclusivamente para o Senhor. Não se trata de fazer coisas para o Senhor. Não é tão simples assim. Não é uma questão de fazer ou deixar de fazer. É uma questão de entender que o nosso corpo, habilidades e faculdades estão sujeitas ao Senhor e a sua vontade. Eu recuso qualquer outro Deus no meu corpo, a não ser o Senhor dos Exércitos. Seja o pecado, a morte ou o mundo.

Na prática significa que todas as minhas atitudes devem ser santificadas. Neste aspecto o contrário da santidade é a rebeldia e o mundo. Talvez alguém tente fazer várias coisas para Deus, mas não se submete à sua vontade. Consequentemente esta pessoa ainda não vive em santidade. A santidade significa que meu corpo, habilidades e atitudes tem um único objetivo que é o de agradar a Deus e fazer a sua vontade.

Uma das coisas que nos impede de agradar a Deus e fazer sua vontade é o pecado. Se o pecado me afasta de Deus, então ele deve ser arrancado da minha vida. Mas também devemos fugir das outras coisas que nos separam da comunhão verdadeira com Deus como as religiões. Ser separado para Deus significa que tudo aquilo que me afasta de Deus deve ser arrancado. Não importa o que seja. Este é o nosso sacrifício.

 Sacrifício Agradável 

"Levantou Noé um altar ao SENHOR e, tomando de animais limpos e de aves limpas, ofereceu holocaustos sobre o altar. E o SENHOR aspirou o suave cheiro [...]" Gênesis 8:20-21.

Por fim o nosso sacrifício também deve ser agradável a Deus. No texto de Gênesis Noé levanta um altar ao Senhor e oferece alguns animais no altar. O texto fala que o Senhor aspirou o cheio suave do sacrifício. É interessante perceber que o nosso sacrífico também deve subir como um cheiro agradável para o Senhor. E para que o nosso sacrifício suba como cheiro agradável o nosso corpo precisa estar limpo. Nos sacrifícios do antigo testamento os holocaustos oferecidos eram sempre dos melhores animais que haviam no rebanho. Animais limpos, conforme o Senhor ordenou na lei de Moisés.

Hoje nós também devemos nos limpar através da água da palavra e do sangue de Jesus. Conforme Jesus disse aos discípulos, nós somos limpos pela palavra que ouvimos (João 15:3). Assim devemos caminhar ouvindo a palavra de de Deus para que a nossa vida seja limpa pelo seu poder e o nosso sacrifício seja agradável ao Senhor.

 O culto racional 

O culto racional, em outras palavras, é por escolha própria se oferecer a Deus em sacrifício para que a vontade dele seja superior às minhas próprias vontades e escolhes da carne. É me voltar para Deus em santificação não usando da razão para dar lugar à carne. Pelo contrário, o nosso culto racional nos levará a um lugar de arrependimento e santificação para que a carne não tenha mais domínio sobre o meu corpo físico. É racionalmente escolher viver a vida de santificação, a vida no Espírito Santo, para que em tudo seja Deus glorificado no meu corpo físico.

Devemos entender que somos um sacrifício vivo e ambulante e que temos que nos apresentar dessa forma a Deus. Apresentar a nossa vida em santidade para que sejamos agradáveis a Deus através do limpar da palavra e do sangue do Cordeiro. A decisão não pode ser feita por Deus. Somos nós que devemos escolhê-Lo todos os dias. O caminho para essa santidade começa na nossa escolha. Sem essa escolha inicial não existe possibilidade de viver em santidade. Mas se buscarmos com diligência a santidade certamente a encontraremos.


Comentários