Fim dos tempos: O Arrebatamento e a Volta de Jesus (Marcos 13)

#Lucas 21 #Marcos 13 #Mateus 24 #Últimos dias #Arrebatamento #Última hora #Esboço #Apocalipse #Jesus voltará #Volta de Jesus #Grande Tribulação #Evangelho #O que é #Estudo #Princípio das Dores #Bíblia #Tribulações #Explicação #Vinda do Filho do Homem #Vinda do Messias #Arrebatamento da Igreja #Arrebatamento dos santos #Vinda de Cristo #Vinda de Jesus #Volta de Cristo #Volta de Jesus #Jesus voltando #Escolhidos #Filho varão #Eleitos #Vencedores

 Introdução 

Finalmente, chegamos à última parte do estudo Fim dos tempos, que trata rapidamente sobre os textos de Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21. Nas partes anteriores deste estudo, nós falamos sobre os sinais que haveremos de perceber no tempo chamado de “Princípio das Dores”, que é o tempo que antecede a Grande Tribulação e os acontecimentos que se farão presentes durante a Grande Tribulação. Se você ainda não leu as duas primeiras partes, é aconselhável começar lendo primeiro sobre o Princípio das Dores e depois sobre a Grande Tribulação para que este texto faça mais sentido e para que você entenda melhor a ordem dos fatos.

Nesta parte, falaremos exclusivamente sobre dois acontecimentos: o arrebatamento e a volta de Jesus. Os textos dos evangelhos não deixam tão claro essa diferença, mas nos dão dicas de como sucederá todas estas coisas. O livro de Apocalipse também é fundamental para entender a diferença entre o arrebatamento e a volta magistral de Cristo. Apocalipse nos ensina com grandes detalhes acerca deste tempo. No nosso próximo estudo, que postarei aqui no blog, irei tratar com mais detalhes sobre os textos de Apocalipse.

 O Arrebatamento e a Volta de Jesus 

A primeira questão que devemos entender é a diferença que existe entre o arrebatamento e a vinda pública e magistral de Cristo Jesus. Muitos irmãos não conseguem distinguir entre uma coisa e outra, pois são conceitos paralelos e que se confundem muitas vezes. Entretanto, o livro de Apocalipse, e até mesmo os evangelhos, fazem essa distinção com muita clareza.

Esta distinção é feita de forma sutil nos evangelhos, pois em nenhum momento ele cita o arrebatamento. Jesus apenas fala sobre o sinal do Filho do Homem quando todos os homens verão e se lamentarão. Entretanto, o livro de Apocalipse deixa muito claro que o arrebatamento e a volta de Jesus serão em momentos distintos.

O arrebatamento se dará durante a Grande Tribulação e virá para buscar os escolhidos do Senhor, enquanto a volta de Jesus se dará no limiar de todas as coisas, quando tudo tiver sido consumado. Abaixo, veremos com mais clareza essa diferença.

 Os escolhidos 

"Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados" Mateus 24:22.

Uma vez que entendemos minimamente a diferença entre o arrebatamento e a volta de Cristo, devemos entender quem são os escolhidos, conforme cita o texto de Mateus. Este versículo fala sobre o tempo da Grande Tribulação. Nele vemos que Jesus especifica um tipo de pessoa, que são os “escolhidos”. Porém, quem são essas pessoas? Existe muita discussão acerca desse tema e muitos têm um conceito errado acerca destes escolhidos, que também são chamados de eleitos ou vencedores. Este entendimento, entretanto, é muito mais simples do que se imagina.

O texto que nos explica quem são os escolhidos está em Mateus. Veja: "Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha" [...] "E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia" Mateus 7:24; 26.

Este é um texto bem conhecido e que não carece de grandes explicações (Leia a pregação Dois Fundamentos para se aprofundar neste tema). Nele, Jesus cita dois tipos de pessoas: o prudente e o insensato. O prudente ouve as palavras de Jesus e as pratica, enquanto o insensato, apesar de também ouvir as palavra de Jesus, não as pratica e vive conforme a sua própria vontade.

Muita gente acha que o insensato deste texto são as pessoas fora da Igreja e que vivem no “mundo”, mas não é verdade. Os insensatos aqui são pessoas salvas, mas que não praticam as palavras de Jesus. Eles têm temor, foram salvos e estão no convívio da Igreja, mas não praticam a palavra do Senhor. Não é à toa que todos os exemplos e parábolas de Jesus tratam sobre duas pessoas, dois caminhos, dois fundamentos. Todos estes exemplos tratam da mesma coisa, que é a prática da palavra de Deus em detrimento daqueles que não a praticam.

Uma vez que eu pratico a palavra de Deus e não sou mais ouvinte negligente, então, o Senhor se agrada de mim. Tudo isso fica muito claro no versículo 12 de Mateus 7: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus". Este versículo deixa muito claro algumas coisas. A primeira delas nos ensina que não adianta dizer muitas coisas no meio dos irmãos e ter uma imagem de santidade, sendo mentiroso e falso. O Senhor sonda mentes e corações e certamente provará cada um de nós. Outra coisa que vemos é que não basta conhecer, devemos fazer a vontade de Deus. Hoje, vivemos em meio a pessoas falsas que falam e pregam sobre muitas coisas, mas o que é praticado? Esquecemos da parte mais importante do evangelho e temos dado lugar a doutrinas de demônios. Por fim, o que devemos fazer é a vontade de Deus e não a nossa. Infelizmente, muita coisa é feita, mas eu digo a você que quase nada faz parte da vontade de Deus. Se o que eu digo não é verdade, então o Senhor deve trazer um grande avivamento para o Brasil, pois milhões se converteram e se convertem todos os dias. O poder de Deus já não é visto como antes e a igreja se tornou um local de comércio. Porém, nós devemos, antes de tudo, buscar entender qual é a vontade de Deus, sem ela não podemos fazer coisa alguma.

Quando percebemos que existem estes dois tipos de pessoas, dois tipos de caminhos e dois tipos de fundamentos (apesar de serem todos parábolas da mesma coisa), entendemos que muitos irmãos caminham de forma insensata, enquanto outros caminham com seriedade e praticam a palavra de Deus. Como seria possível esta situação, sendo que Deus é justo? Será que Ele permitiria que todos fossem tratados de forma igual? Certamente não. Este exemplo nos mostra o motivo pelo qual Deus irá conceder aos seus filhos maduros, que o amaram e que praticaram a sua palavra, um tratamento diferenciado, que veremos a seguir.

 O arrebatamento dos escolhidos 

"Mas, naqueles dias, após a referida tribulação, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento, e os poderes dos céus serão abalados" Marcos 13:24-25.

 O Filho Varão 

O arrebatamento dos escolhidos se refere à vinda oculta de Jesus. Não será a volta de Jesus, mas o arrebatamento daqueles que foram escolhidos por Deus, os que amadureceram e que encheram sua botija de azeite. É a respeito deste arrebatamento que Paulo trata ao escrever aos irmãos de Tessalônica quando ele menciona que "o Dia do Senhor vem como ladrão de noite" 1 Tessalonicenses 5:2.

A base que temos para afirmar que estes escolhidos serão arrebatados durante a Grande Tribulação está no livro de Apocalipse. Veja: "Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono" Apocalipse 12:5.

O texto do capítulo 12 do livro de Apocalipse se assemelha muito com estas palavras que lemos nos evangelhos, isto porque o que é tratado em Apocalipse é exatamente o que Jesus está tentando nos ensinar acerca das coisas que hão de acontecer. Neste capítulo de Apocalipse, João tem uma grande visão e nesta visão ele contempla o nascimento deste filho varão. Este acontecimento é uma figura das coisas que acontecerão nos tempos do fim. A mulher representa a Igreja e o Filho Varão representa os escolhidos de Deus de todas as eras. Este Filho Varão será arrebatado para Deus e para o seu trono durante o tempo da grande tribulação.

 As estrelas e os poderes dos céus 

Outras coisas nos chamam a atenção neste texto: as estrelas atiradas à terra e os poderes dos céus. Também podemos entender este texto e estas figuras graças à revelação de João no livro de Apocalipse. Estes acontecimentos são o resumo do que se passa no sexto selo do livro de Apocalipse e que também é retratado com muitos detalhes no capítulo 12.

As estrelas que são tratadas no texto são os anjos caídos que estão sob a autoridade de satanás. Neste tempo, eles serão todos lançados na terra onde causarão ainda mais dano e destruição e perseguirão o restante da Igreja e os que têm o testemunho de Jesus (Apocalipse 12:9). Os poderes dos céus serão abalados exatamente por esse motivo. Uma vez que o Filho Varão for arrebatado para Deus (e for levado até aos Céus), então, o dragão há de ser expulso e será lançado à terra.

 Houve peleja no céu 

O Filho Varão possui a mesma natureza de Jesus Cristo e, por isso, faz guerra constantemente contra satanás. É impossível que ambos coexistam, seja nos Céus ou mesmo na Terra. Por isso, quando o Filho Varão for arrebatado para Deus, se iniciará uma grande batalha nos Céus. Miguel se levantará com todo o exército de anjos que há sob seu comando contra a serpente para a expulsar e lançar até a terra.

 Como vencer a serpente? 

"Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida" Apocalipse 12:11.

Um detalhe que passa desapercebido é a forma como vencer a serpente. Apesar de ser Miguel quem irá expulsar a serpente, ele apenas o fará por causa da vitória dos santos escolhidos. E essa vitória sobre o diabo, satanás, se resume em três pontos: o sangue do Cordeiro, a palavra do testemunho e não amar a própria vida.

Além de revelar como o inimigo foi vencido, estes pontos são chave para a nossa própria vida. Devemos caminhar conforme estes pontos para vencer o inimigo de nossas almas. É vencendo ele hoje que garantiremos que ele será derrotado por Miguel neste grande dia.

 Quando será o arrebatamento? 

Ninguém sabe o dia e a hora em que os filhos eleitos e escolhidos por Deus serão arrebatados. Nem mesmo Jesus Cristo, o cordeiro de Deus, sabe o momento exato. Entretanto, a bíblia nos dá dicas bem concretas sobre o tempo em que isso poderá acontecer. Veja: "A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustente durante mil duzentos e sessenta dias" Apocalipse 12:6. Este também é o tempo exato em que irão profetizar as duas testemunhas de Deus, ou seja, três anos e meio.

Sabemos que o tempo total da grande tribulação é de sete anos. Então, se a mulher será sustentada ainda por três anos e meio, então certamente os eleitos serão arrebatados em algum momento antes deste período final da grande tribulação. Podemos dizer que este arrebatamento acontecerá em algum momento da primeira parte dos primeiros três anos e meio, pois o texto de Mateus diz que os dias seriam abreviados por causa dos escolhidos, para que fossem salvos. Isso indica que os escolhidos também estarão presentes no primeiro período da grande tribulação, mas serão arrebatados antes do período final de três anos e meio.

 A vinda pública de Jesus 

"Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória" Mateus 24:30.

O texto acima, de Mateus capítulo 24, fala sobre a vinda de Jesus. Quando Jesus vier publicamente, todos os olhos contemplarão e se lamentarão ao ver o filho do homem vindo sobre as nuvens do céu. Será um acontecimento poderoso e maravilhoso, mas também trará justiça e destruição para os adoradores da besta.

"Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do Homem. Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres" Mateus 24:27-28.

Sua vinda não será como o arrebatamento, em que apenas algumas pessoas serão arrebatadas e nada será compreendido. A vinda pública de Jesus será vista por todos os homens e todos saberão que há apenas um Rei e Senhor: Jesus Cristo, o filho de Deus. O mesmo texto de Mateus, nos versículos 27 e 28, também fala sobre isso. O texto diz que a vinda do Filho do Homem será como um relâmpago que sai do oriente e se mostra no ocidente.

"Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça" Apocalipse 19:11.

O texto de Apocalipse que retrata a vinda do nosso Senhor é o capítulo 19. Nele vemos uma figura maravilhosa, alguém está assentado sobre um cavalo branco, e Ele se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. Este é Jesus glorificado, o nosso Rei e Senhor. Ele mesmo nos guiará e nós seremos o seu povo eternamente.

O texto de Apocalipse 19 também nos mostra o que há de suceder quando Jesus vier sobre as nuvens do céu. Ele trará julgamento sobre todos os exércitos que se levantarem contra Deus e contra o seu Ungido. Ele trará também o seu exército celestial, composto por todos aqueles que o seguiram até a morte e não negaram o seu nome, os escolhidos, vencedores da besta.

 Conclusão 

"[...] nós vos exortamos a que não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o Dia do Senhor" 2 Tessalonicenses 2:1-2.

Este estudo sobre o Fim dos Tempo, de modo algum, tem o interesse de causar algum desconforto ou irracionalidade aos irmãos que lerem estas mensagens. O próprio apóstolo Paulo nos adverte para não nos perturbarmos, a ponto de abalar a nossa mente, com as possibilidades do tempo em que vivemos. Apesar da grande urgência e iminente volta de Cristo (conforme visto nas mensagens), devemos manter a nossa sobriedade e continuar no caminho do Senhor até a sua vinda cumprindo o nosso ministério, pois Deus cuidará de nós em todas estas coisas.

"Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vós todos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios" 1 Tessalonicenses 5:4-6.

Igualmente, devemos vigiar e caminhar de forma sóbria e sensata. Devemos entender que, como filhos do Dia, o ladrão não poderá nos pegar de surpresa, pois se vigiarmos e não dormirmos, então certamente veremos quando for chegado o tempo da sua vinda. Este é o objetivo maior deste estudo: informar em relação aos tempos e às épocas em que vivemos e dizer que, apesar de não ser possível prever o momento exato da volta de Cristo, a palavra nos dá todas as ferramentas para entender quando se passará este tempo e como devemos agir durante este tempo. Assim, devemos permanecer vigilantes em todo tempo, aguardando a manifestação da graça e vinda do nosso Rei e Senhor, Jesus Cristo. A Ele seja a glória e o domínio e o poder eternamente. Amém!

Comentários