A Purificação: Cada um é tentado pela sua própria cobiça (Tiago 1:14)

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Sermão #Pregação #Mensagem #Palavra #Meditação #Devocional #Catequese #Versículos #Bíblia #Evangelho #Evangélico #Evangélica #Cristão #Cristo #Jesus #Deus #Concupiscência #Carne #Olhos #Soberba #Pecado #Morte #Mundo #Engodo #Engodado #Cobiça #Desejo #Sedução #Pecado #Morte #Trevas #Cadeias #Laços #Mente #Coração #Escolha #Caminho

"[...] cada um é tentado pela sua própria cobiça (concupiscência), quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz ao pecado e o pecado, uma vez consumado, gera a morteTiago 1:14-15.

 Introdução 

Continuamos o nosso estudo sobre a purificação dos pecados. Nesta parte do estudo veremos um pouco sobre a relação entre a concupiscência, o pecado e a morte. Entender estes pontos nos ajudará em nossa luta contra o pecado e em nossa santificação pessoal.

É claro que o Espírito Santo sempre nos guia e ensina acerca do pecado e de todas as coisas das quais devemos nos afastar. E é claro que é o Espírito que testifica em nossos corações sobre a veracidade de tudo que falamos. Esta meditação não veio substituir o papel do Espírito Santo, mas para nos ajudar a purificar a nossa mente. Sem purificar a nossa mente é impossível crer em nossa santificação.

 A concupiscência (cobiça) 

O que seria essa concupiscência? A concupiscência não é o pecado, mas é o que nos atrai para ele. É tudo aquilo que me atrai para cometer pecados. Todos nós possuímos desejos e cobiças específicas, que são as nossas concupiscências pessoais. É este desejo que nos atrai ao pecado.

É interessante entender este processo, pois podemos nos beneficiar disso. Por exemplo, você sabia que não é pecado ser tentado? Não é pecado ser tentando, pois todos nós somos tentados todos os dias. Se a tentação fosse pecado até mesmo Jesus teria falhado em sua missão, pois o Espírito Santo o conduziu ao deserto para ser tentado pelo diabo. Mas Jesus venceu, porque foi tentado e não cometeu pecado algum e nem dolo foi encontrado em sua boca. Glória a Deus que nos ensina o caminho da santidade.

Ninguém peca sem uma origem. Podemos dizer que a nossa concupiscência é a origem do pecado, de onde ele emana. Há uma citação supostamente de Martinho Lutero que diz que “Você não pode impedir que um pássaro pouse em sua cabeça, mas, pode impedir que ele faça ninho”. Essa frase explica bem a diferença entre concupiscência e pecado. É impossível impedir que venham as tentações e pensamentos malignos, pois somos todos carnais. Mas é possível evitar que este pássaro crie morada em nossa cabeça, pensamentos e emoções.

 O pecado 

"Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz ao pecado" Tiago 1:15.

Quando damos espaço para os nossos desejos, pensamentos e concupiscências, e não voltamos os nossos olhos para o Espírito Santo, a nossa cobiça pode dar luz ao pecado. Jesus nos disse que "[...] qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela". Assim entendemos que para pecar não precisamos necessariamente praticar alguma ação, basta dar espaço para os nossos desejos no nosso coração e assim o pecado será concebido.

Apesar de ser bem possível para nós, crentes, vencer o pecado quando somos tentados (e é o que deve ser), muitas vezes não conseguiremos evitá-lo. O pecado, entretanto, não é o fim da linha. Ainda que pecarmos, teremos uma chance de voltar atrás e nos arrepender, pois o nosso pecado não é para morte. Se nos arrependermos quando pecamos (de preferência logo depois do pecado) o Espírito nos encherá e seremos cheios do amor e do perdão de Deus. Neste momento devemos colocar de lado a nossa vaidade e orgulho e clamar pelo sangue do Cordeiro. Se não nos limpamos neste momento podemos dar espaço para o pecado tomar ainda mais o nosso coração.

Nosso grande problema é que brincamos muito com o pecado e não nos limpamos quando pecamos. Veja que o problema aqui não é o pecado, mas o nosso coração, ou seja, a nossa concupiscência. Se o nosso coração estiver voltado para o Senhor o pecado será um acidente ocasional e não nos impedirá de continuar a nossa carreira. Mas se o nosso coração está cheio de maldade, vaidade e orgulho, então não nos arrependeremos e podemos cair na última parte deste texto.

 A morte 

"[...] e o pecado, uma vez consumado, gera a morte" Tiago 1:15.

"Os que se assentaram nas trevas e nas sombras da morte, presos em aflição e em ferros, por se terem rebelado contra a palavra de Deus e haverem desprezado o conselho do Altíssimo, de modo que lhes abateu com trabalhos o coração – caíram, e não houve quem os socorresse" Salmo 107:10-12.

A última parte deste processo é a morte. Nesta parte a cobiça se tornou pecado e nós não nos arrependemos. O pecado tomou todo nosso coração e por fim ele foi consumado. Se chegamos a este ponto é porque já negligenciamos a nossa cobiça e não demos ouvidos a voz do Espírito Santo, que nos convence do pecado. Significa que estamos bem distantes do Espírito e de Deus.

Então se o nosso pecado é consumado ele gera morte. Normalmente as pessoas que chegam a esta fase estão em pecado já há algum tempo e a consumação deste pecado é só uma questão de tempo. É por isso que precisamos nos arrepender assim que pecamos. Se não nos arrependemos os nossos pecados começam a deteriorar a vida de Deus em nós. O pecado vai nos minando até o momento em que não mais conseguiremos viver uma vida santa e por fim nos entregamos à prática do pecado. Tudo isto é um processo que costuma levar meses e até mesmo anos.

Quando praticamos o pecado, geramos morte. A morte é o produto do pecado. Quanto mais permitimos que o pecado atue em nosso coração, mais nós pecaremos na prática. Para vencer o pecado em nossa vida, portanto, devemos vencê-lo em nossos corações primeiramente. A morte também nos separa de Deus, pois ele não pode ter comunhão com as trevas. Também é por isso que muitas pessoas não têm comunhão com o Espírito ou porque não conseguem ouvir a voz de Deus. É necessário nos santificar da morte em nossas vidas.

"Então, na sua angústia, clamaram ao SENHOR, e ele os livrou das suas tribulações. Tirou-os das trevas e das sombras da morte e lhes despedaçou as cadeias" Salmo 107:13-14.

Mas se estamos afastados da comunhão do Espírito e sentimos a nossa vida completamente suja e cheia de morte será o fim da nossa caminhada? É claro que não! Se há morte em nossa vida precisamos ser lavados para voltar à comunhão com o Senhor. Devemos clamar ao Senhor, como nos ensinou o salmista. O Senhor é poderoso para destruir todas as nossas cadeias e toda morte que prende os nossos pés no pecado. Para tanto devemos clamar e buscar santidade do Senhor. E qual a forma de clamar? Clamar é gritar ao senhor, buscá-lo com toda a sua vida. É invocar o Senhor para dentro de si mesmo. Orar a Deus com sinceridade e não como um religioso qualquer. Orar com fé crendo que ele é um Deus que nos lava, liberta e que pode nos tirar do lamaçal das trevas e da morte.

 Conclusão 

Para vencermos o mundo é necessário entender bem a relação entre concupiscência, pecado e morte. Sem entender estas coisas é bem difícil conseguir vencer o mundo. O mundo que se baseia em desejos e concupiscências para nos engodar e para tirar o nosso foco da vida e virtude de um Deus vivo e poderoso.

Acima de tudo devemos entender onde estamos nestes pontos. A maioria dos irmãos está morta, pois não conseguem vencer o pecado. Quando estamos mortos a nossa visão fica submissa a morte, portanto não vemos coisa alguma. É bem provável que a maioria deles se considera sem pecado ou livre do pecado. Para entender onde estamos só temos um caminho: a santificação.

Que a nossa vida seja livre do pecado e que assim a Igreja do Senhor na nossa geração seja vitoriosa e cheia da glória eterno de um Pai misericordioso. Oh Deus Jeová, dono de todas as coisas! Tem misericórdia sobre a tua Igreja e nos ensina a vencer estas coisas! Levanta um povo santo e agradável a ti. Amém!

Comentários