A parábola do Valente (Marcos 3:27)

#Evangelho de Marcos #Marcos 3 #Marcos capítulo 3 #Livro de Marcos #Estudo de Marcos #Capítulo 3 #Estudo #Explicação #Esboço #O que é #Comentário #Pregação #Meditação #Devocional #Mensagem #Bíblia #Amarrado #Valente #Demônios #Espíritos malignos

Leitura: Marcos 3:20-30; Colossenses 1:13; Mateus 16:18

“Ninguém pode entrar na casa do valente para roubar-lhe os bens, sem primeiro amarrá-lo; e só então lhe saqueará a casa” Marcos 3:27.

Este é o terceiro texto sobre essa passagem de Marcos, quando Jesus responde os escribas que o haviam blasfemado. No texto anterior nós vimos um pouco sobre o reino dividido e como isso pode ser uma realidade para a própria Igreja de Deus, o povo remido sobre a terra.

Mas no texto de hoje nós veremos uma das realidades mais comuns em meios aos crentes contemporâneos e que Jesus trouxe neste texto. Aqui Jesus explica a base bíblica para a expressão: “amarrado em nome de Jesus”. E é interessante falar sobre isso, pois muitas pessoas não sabem que essa expressão tem um fundo bíblico sim, conforme lemos neste texto. Entretanto, não é para ser usada em tudo como tem sido o costume. Quando Jesus ia expelir demônios, por exemplo, ele não os amarrava, mas os mandava sair.

Voltando para o tema do texto, o que Jesus está falando aqui é bem específico. Ele está falando sobre um assalto, um roubo na casa deste valente. O valente, neste caso, é o diabo e sua casa é este mundo de trevas. Os seus bens são as pessoas que estão perdidas debaixo do seu poder e autoridade.

Nós, os que cremos e que fomos salvos e justificados por meio do sangue, não estamos mais sujeitos ao pecado e ao domínio do diabo. Nós fomos libertos do império das trevas e transportados para o reino do Filho do seu amor (Colossenses 1:13). Agora, entretanto, podemos ainda adentrar neste império a fim de saquear as vidas que estão debaixo do domínio do mal.

Este talvez seja o ponto mais interessante deste texto, uma vez que percebemos a necessidade de amarrar o valente, antes de saqueá-lo. Significa que não adianta o quão bom é o nosso evangelismo ou quanto temos habilidade de explicar toda a teoria da bíblia, se não amarramos o valente, não conseguiremos converter ninguém do seu mal caminho. Esse pensamento coloca em cheque muitas coisas que são feitas hoje em dia com o rótulo cristão, mas que na verdade não serve o real propósito de Deus.

Se queremos saquear as vidas das mãos do diabo, temos antes de mais nada, de nos consagrar inteiramente a Deus de tal forma que a nossa oração será suficiente para quebrar todo o domínio do inimigo. Como exemplo podemos citar o avivamento em Gales, a história contada no livro “O mundo em Chamas”. O livro conta que a glória de Deus era tão forte que era comum que Deus respondesse orações instantaneamente. Houve relatos de pessoas que chegaram ao local de reunião pouco tempo depois dos irmãos orarem pela sua conversão.

É por isso que Jesus afirma, no capítulo 16 de Mateus, que as portas do inferno não prevaleceriam sobre sua Igreja (Mateus 16:18). Isso não significa que o inferno vem contra nós, significa que a Igreja é quem avança sobre o inferno! Aleluia! Somos cheios do Espírito de Deus a ponto de saquear o inferno através da sua graça! Enche-nos Senhor da tua unção! Amém!

Comentários