A escolha dos doze apóstolos (Marcos 3)

#Doze #Apóstolos #Chamado apostólico #Evangelho #Cura #Ministério de Jesus #Marcos 3 #Marcos capítulo 3 #Livro de Marcos #Estudo de Marcos #Evangelho de Marcos #Capítulo 3 #Estudo #Explicação #Esboço #O que é #Comentário #Pregação #Meditação #Devocional #Mensagem #Bíblia

“E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar, e para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios” Marcos 3:14-15.

Leitura: Marcos 3:13-21

Nesta parte do capítulo três do Evangelho de Marcos Jesus sobe a um monte e chama doze homens para os designar como Apóstolos. É interessante porque esse ato do Senhor se deu logo após ele realizar muitas curas a beira mar. Provavelmente o Senhor já observava aqueles que mais se dispunham para o ministério para fazer essa escolha. Apesar de que não podemos definir a motivação específica que levou Jesus a escolher estes doze homens.

A palavra 'apóstolo' significa, literalmente, enviado. Não se trata, como muitos julgam, de uma posição especial que foi designada por Jesus. Trata, na verdade, de doze homens que foram escolhidos por Jesus para perpetuar o seu serviço aqui nesta terra. É impossível acompanhar e ensinar mil pessoas. Doze, entretanto, é possível.

Uma dúvida que paira sobre nossas cabeças é se há apóstolos na nossa era. A resposta é não. Os apóstolos foram os doze enviados por Jesus para pregar sua palavra. Não é possível que possuamos esse título, uma vez que Jesus concedeu apenas para os doze. E como dito, apóstolo não é uma posição de destaque, mas algumas pessoas que foram enviadas por Jesus. Eles são apenas conservos conosco, os santos salvos e remidos por Cristo.

A pergunta que se segue é por que muitos pastores são consagrados e ungidos a apóstolos. A verdade é que esse é um erro doutrinário. Essas pessoas erram em considerar que o apostolado é uma posição que se alcança quando você desenvolve muito seu ministério, o que não é verdade. Os apóstolos eram pessoas que foram enviadas à dispersão, como citam alguns autores da bíblia. Paulo, por exemplo, era o apóstolo dos gentios. Ele era apóstolo, pois estabelecia as Igrejas nas cidades em que passava.

Outro problema que encontramos é que o conceito de Igreja é mais um conceito bíblico que se perdeu. Igreja vem do grego 'Ekkesia' que significa aqueles que foram chamados para fora do mundo, do sistema arquitetado pelo diabo. Igreja não é uma instituição humana. A Igreja é reunião dos irmãos de uma cidade.

Interessante perceber estes pontos porque dos doze que foram escolhidos, a maioria deles era composta de homens iletrados sem nenhuma capacidade intelectual ou religiosa. Dos doze escolhidos, 11 eram galileus, que era uma parte pobre de Israel. O único que não era galileu era Judas.

Dentre os escolhidos por Jesus estava Pedro, homem que seria facilmente tido como bárbaro ou incapaz pela religião da época. Ele foi aquele que cortou a orelha do soldado no Getsêmani. Que negou Jesus três vezes. Como pode alguém como ele ser nomeado por Jesus sendo tão incapaz, humanamente falando? Pedro é o exemplo derradeiro do que é o Apostolado. Homens incapazes escolhidos pelo Senhor, que o amam acima das suas próprias vidas e que dispõem a suas vidas de tal forma a ponto do Senhor os enviar a pregar sua palavra.

Deus ainda escolhe e chama homens como Pedro. Deus não escolhe baseado na capacidade ou na habilidade que alguém possa ter. Nem nos bens e no dinheiro, mas no amor ao Senhor. No quanto estamos dispostos a padecer pelo nome de Jesus. Pedro era incapacitado, mas estava disposto a seguir o Senhor por onde quer que ele fosse. Assim como João, Paulo e tantos outros que entregaram a sua vida como libação. A maioria deles morreu de forma brutal, a não ser João, que foi guardado pelo Senhor e dormiu no fim da vida.

Comentários