Estudo de Mateus - Mudança de atitude


Estudo de Mateus - Capítulo 3
Mudança de atitude

“Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho” (Mc 1:14-15).

Arrependimento à luz das Escrituras:
É o primeiro passo na vida de um cristão genuíno. Se este fundamento não for devidamente assentado, toda a estrutura da vida do discípulo será instável, incapaz de suportar as provações e tribulações que hão de vir. Atos 17:30 nos diz: “Ora, não levou Deus em conta os tempos de ignorância; agora, porém notifica aos homens que todos em toda parte se arrependam”. Paulo considera esta experiência como “a base do arrependimento de obras Mortas” (Hb.6:1,2). Podemos, então, segunda à luz das Escrituras definir arrependimento da seguinte forma:

Mudança radical de Atitude (Mc. 1:14-15).

Uma mudança radical de atitude e mente é o ponto básico para entendermos o arrependimento. Seria bom frisarmos que o nosso maior problema para com Deus não está nas “coisas erradas” que fazemos, ou seja, em nossos atos mas, sim em nossa posição ou atitude interior de independência e rebelião para com Deus.

A verdade é que todos os meus atos são decorrentes de uma atitude e uma disposição interior que tenho em relação a Deus. Em outras palavras, quando em meu interior, há um princípio de independência (faço o que quero, sou dono da minha própria vida) e, obviamente os meus atos e as coisas que vou fazer no meu dia a dia não vão agradar a Deus.

O Objetivo de Deus, portanto, é atingir a raiz do problema: que eu mude de uma atitude de independência para uma total dependência, ou seja, de uma atitude de rebelião (faço o que me dá na cabeça), para uma atitude de submissão (estou sujeito a Cristo em tudo).

Quando a minha atitude de coração em relação a Deus muda, os meus atos externos também mudam. Entretanto, se apenas tento aperfeiçoar os meus atos exteriores(deixando de fazer alguma coisa que considero errado, como, beber ou assistir televisão), sem experimentar o genuíno arrependimento, o que acontecerá? Ora, ainda permanecerá a velha atitude de independência em relação a Deus. Assim, logo voltam os antigos e tão conhecidos atos do velho homem.


Antiga Atitude – Rebelião, independência - “Faço o que me dá na cabeça”.

Nova Atitude – Submissão, Dependência - “Estou sujeito a Cristo em tudo”.


Pelo conceito comum, arrependimento é entendido por um sentimento de remorso em relação aos pecados cometidos. Deus, portanto, está nos oferecendo algo mais sólido e consistente: por meio de um verdadeiro arrependimento chegamos a ter nosso interior totalmente mudado, passamos a ter uma nova vida através de Seu Filho e somos conduzidos a uma relação íntima com Ele. ALELUIA!!!

Com isto Deus nos dá uma nova fonte de vida e não um código de moral. Ora, é marcante a diferença entre a essência que a vida de Deus produz em nosso viver e a aparência morta que decorre de um código de moral.

Assim, podemos afirmar que o arrependimento, segundo Deus, ocorre na vida daquele que tem a fé verdadeira produzida e ativada no coração pela proclamação da verdade de Cristo (Rm. 10:17).

Postar um comentário