A parábola da Rede (Mateus 13:47-50)

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Sermão #Pregação #Mensagem #Palavra #Meditação #Devocional #Catequese #Versículos #Bíblia #Evangelho #Evangélico #Evangélica #Cristão #Cristo #Jesus #Deus #Juízo #Dia do Senhor #Julgamento #Rede #Fim dos dias #Dia do Senhor

"O reino dos céus é ainda semelhante a uma rede que, lançada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. E, quando já está cheia, os pescadores arrastam-na para a praia e, assentados, escolhem os bons para os cestos e os ruins deitam fora. Assim será na consumação do século: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos, e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes" Mateus 13:47-50.

 Introdução 

Hoje falaremos sobre a Parábola da Rede. Esta parábola se assemelha muito à parábola do Joio no mesmo capítulo de Mateus e trata acerca do julgamento e do dia do juízo do Senhor. A parábola ilustra uma pesca, assunto que os discípulos de Jesus eram grandes conhecedores, pois a maioria deles era pescadores antes de seguirem a Jesus.

 Explicação da parábola 

Para entender esta parábola devemos lembrar do que Jesus disse a Simão Pedro e André quando os chamou para segui-lo: "E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens" Mateus 4:19. Assim podemos identificar que nesta parábola os peixes simbolizam os homens e mulheres deste mundo. O mar simboliza o mundo humano caído e dominado pelo diabo e a rede simboliza o Evangelho, as boas novas de Cristo Jesus para a salvação dos homens.

A parábola também cita que esta rede recolhe peixes "de toda espécie", simbolizando que nesta rede encontram-se tanto peixes bons quanto peixes ruins. Os peixes bons são os cristãos criteriosos e fervorosos que estão cheios do azeite e da palavra de Deus. Mas os peixes ruins são os irmãos que não encheram suas botijas de azeite nem se esforçaram na vida com Deus.

 O julgamento de Deus: a consumação do século 

"Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador? Por isso, também os que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem a sua alma ao fiel Criador, na prática do bem" 1 Pedro 4:17-19.

O ponto principal da parábola trata sobre a consumação do século e o julgamento de Deus sobre todos aqueles que ouviram as palavras da salvação. Esta parte é simbolizada quando os pescadores puxam a rede para a praia e separam os bons peixes dos peixes ruins. Assim será na consumação do século, pois cabe ainda a Deus julgar a todos aqueles que ouviram a palavra da salvação e o evangelho do Reino de Deus.

Não se engane! O juízo de Deus começa sobre os de sua casa, pois somos nós que ouvimos e pregamos a sua santa palavra. Não pense que todos os atos de iniquidade das nossas mãos serão esquecidos por Deus, pois Ele é fogo consumidor e queimará toda impureza. E para tantos quantos não se atentaram para a justiça de Deus, nascerá o sol da Justiça trazendo juízo em suas mãos. Mas para os a muitos conduziram a verdade e que a si mesmo se entregaram como libação e sacrifício, e que por muitas dores viveram a verdade que está em Cristo, a estes será concedido um Reino eterno onde não mais haverá choro, fome ou dor.

Os que forem lançados fora padecerão no fogo, onde haverá choro e ranger de dentes. Não podemos nos enganar quanto a estas coisas. Se não nos santificamos em vida e se a obra das nossas mãos não são santificadas, seremos santificados no futuro pelo fogo de Deus. Ele mesmo é Luz e nele não há treva alguma. Por isso não é possível receber um reino de luz se a nossa própria vida não é luz. Também não é possível servir a um Deus santo se nós mesmos não somos santos. Se não nos santificamos em vida Deus usará o fogo para nos purificar.

O juízo de Deus vem sobre todos os seus filhos. Bem aventurados os famintos pela justiça de Deus e pelo seu reino, que almejam e vislumbram um reino eterno que vem do alto, pois são estes os que serão fartos. Bem aventurados os que com esforço conquistam este reino, encomendando suas almas através da prática do bem.

Comentários