A cura de muitos à beira-mar (Marcos 3)

#Marcos 3 #Marcos capítulo 3 #Livro de Marcos #Estudo de Marcos #Evangelho de Marcos #Capítulo 3 #Estudo #Explicação #Esboço #O que é #Comentário #Pregação #Meditação #Devocional #Mensagem #Bíblia #Cura #Ministério de Jesus #Beira-mar #Discípulos #Mar da Galileia #Lados do Mar

“Retirou-se Jesus com os seus discípulos para os lados do mar” Marcos 3:7.

Leitura: Marcos 3:7-12

Continuando nosso estudo de Marcos, vemos agora esta passagem em que Jesus se retira e vai para o litoral. O versículo 6 deste capítulo fala que os fariseus procuravam uma forma de o matar, juntamente com os herodianos, pois ele havia curado aquele homem da mão ressequida no sábado, que pela Lei, não era lícito fazer. E muito provavelmente por esse motivo, Jesus se retirou para o mar com seus discípulos.

Enquanto seguia o seu caminho as multidões o seguiam. Quando descobriram que Jesus curava todas as doenças e chagas, toda a região do estado moderno de Israel afluiu para Jesus para serem curados. A multidão era tal, que Jesus pediu aos discípulos um barquinho para que ele não fosse espremido por ela.

Mas o que chama mais atenção neste texto é a parte final:

“Também os espíritos imundos, quando o viam, prostravam-se diante dele e exclamavam: Tu és o Filho de Deus! Mas Jesus lhes advertia severamente que o não expusessem à publicidade” Marcos 3:11-12.

A obra de Deus é feita de uma maneira muito peculiar. Aqui vemos Jesus, o filho de Deus, que curava e libertava todos do domínio do diabo. Ao vê-lo os espíritos imundos corriam para adorá-lo, mas na verdade, eles queriam tornar público que Jesus era, de fato, o filho de Deus. Isso também aconteceu em várias oportunidades e em todas elas Jesus ordenava que os espíritos se calassem.

Entender o motivo disso é importante, pois nos ajuda a entender a vontade de Deus. O Senhor possui o seu tempo para realizar todas as coisas. Na vida de Jesus não foi diferente. Ele esperou até os trinta anos para iniciar seu ministério e apenas começou o seu ministério, de fato, depois da prisão e morte de João Batista. Isso porque Deus não é exasperado em nada e conhece o tempo de todas as coisas.

Quando estes espíritos gritavam que Jesus era o filho de Deus, eles estavam, na verdade, indo contra a vontade de Deus. Não era o momento para se declarar ao mundo quem ele era de verdade, mas os espíritos constantemente gritavam essas coisas. Essa é uma forma sutil de negar o tempo de Deus e se rebelar contra ele. O tempo de Deus é fundamental para entender completamente sua vontade. Se queremos andar debaixo da vontade de Deus, devemos, então, entender o seu tempo.

“Quem guarda o mandamento não experimenta nenhum mal; e o coração do sábio conhece o tempo e o modo” Eclesiastes 8:5.

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR” Isaías 55:8.

Se queremos compreender a vontade de Deus, devemos entender também o tempo e o modo de Deus. Fazemos grande confusão quando falamos sobre a vontade de Deus, pois confundimos vontade de Deus, com a nossa própria vontade. Achamos que fazer o 'bem' é, por si só, a vontade de Deus. Infelizmente caímos, na maioria das vezes, na armadilha do humanismo. Que, aliás, é uma da armas para nos cegar. Este humanismo (se você não entende o que isso significa clique aqui) é, basicamente, a mesma coisa que estes espíritos faziam. Eles ignoravam a vontade (e o tempo) de Deus para o revelarem ao mundo.

Entender Sua vontade, é aceitar o tempo e o modo de Deus. Para fazer dessa forma, devemos alcançar corações sábios para aguardar o tempo e o modo de Deus.

Comentários