Novo Mandamento: Amarás o Senhor teu Deus (Mateus 22:37)

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Sermão #Pregação #Mensagem #Palavra #Meditação #Devocional #Catequese #Versículos #Bíblia #Evangelho #Evangélico #Evangélica #Cristão #Cristo #Jesus #Deus #Cristão #Jesus #Ensinamento #Grande mandamento #Amarás o Senhor #Cumprimento da Lei #Primeiro Mandamento #Mandamento #De todo coração #De toda alma #De todo entendimento

"Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?
Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento" Mateus 22:36-38.

 Introdução 

Iniciamos hoje um novo estudo sobre os mandamentos que temos no Novo Mandamento e que se resumem em amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos. Estranho falar sobre mandamento em tempos de libertinagem, mas estas poucas palavras resumem aquilo que Jesus nos ordenou que fizéssemos e talvez até o evangelho de Cristo em si. Se andarmos assim cumpriremos também toda a lei de Moisés. Esta é a primeira parte do estudo: Amarás o Senhor teu Deus.

 Amar a Deus 

Meditando nestas coisas eu me deparei com uma triste realidade: eu não amo o Senhor como deveria. Porém, pior do que perceber essa realidade é conhecer outra realidade a qual passo a mostrar neste texto. Uma vez que você conhece essa outra realidade, você se torna responsável por aquilo que ama.

Eu não sou tão velho, mas já estou farto de ouvir sobre amor. Esse amor que ouvimos no dia-a-dia é uma das mentiras que o diabo está usando — e usando muito — contra os cristãos nos nossos dias. E eu digo isso porque não se ama apenas sua namorada ou esposa. Existem muitas coisas que se tornam importantes para nós e, quando elas tomam parte na nossa vida, então nós as amamos.

Esse texto de Mateus nos mostra uma realidade que passa despercebida. Isso porque ela se tornou popular e, portanto, não damos a mesma atenção que damos as palavras que não conhecemos. Mas se prestarmos atenção no que diz esse texto encontraremos vida para nossa vida. Uma realidade profunda do amor à Deus e uma experiência nova na caminhada com Ele. Resumindo, o texto nos mostra a forma como devemos amar o Senhor. Vejamos.

 De todo o teu coração 

O primeiro aspecto do amor ao Senhor é amá-Lo de todo o coração. É muito difícil explicar como nós podemos amar o Senhor dessa forma, mas vou tentar. Pesquisando o significado dessas palavras eu percebi que, o que o texto tenta passar, é um sentimento muitíssimo forte. Chegando, até mesmo, a se confundir com uma paixão desenfreada pelo Senhor.

Essa forma de amor ao Senhor não é nova, mas é vista na palavra em várias situações. Um dos livros menos compreendidos das escrituras, e que não está ali por um acaso, é o livro de Cânticos. Nele nós percebemos uma relação de intimidade entre o Rei e uma mulher. Veja: "Arrasta-me após ti; corramos! O rei introduziu-me nos seus aposentos. Exultaremos de alegria e de júbilo em ti. Tuas carícias nos inebriarão mais que o vinho. Quanta razão há de te amar!" Cânticos 1:4.

Esse texto representa a relação de Cristo e a Igreja. É tão lindo ver como Deus deseja ter tal intimidade com o homem! Talvez ainda não faça tanta razão estas poucas palavras. Mas, de fato, não farão! Amar o Senhor com tal sentimento não pode ser compreendido e nem estudado. Esse amor é desenvolvido através da oração incessante. Através da busca intensa do Senhor Jesus. Todo aquele que busca o Senhor Jesus, de todo o coração, o encontrá. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus" Salmos 51:17.

Muitas vezes nós espiritualizamos demais a experiência com Deus e tendemos a compreender o amor a Deus apenas como alguma coisa doutrinária, acadêmica ou totalmente espiritual fora do domínio do sentimento. Ainda taxamos os irmãos que se derramam diante de Deus como carnais ou qualquer coisa semelhante. Mas aqui vemos que o primeiro tipo de amor que Deus quer de nós é o nosso sentimento. Nos apaixonar desesperadamente por esse Deus maravilho é o que devemos fazer. Encher nossa vida de uma loucura pela oração a tal ponto que nunca mais nos afastaremos do Senhor.

Como, então, amar o Senhor dessa forma? Ore. Ore como se o mundo estivesse sendo findado hoje mesmo. Ore o tempo todo. Ore como se você estivesse falando com seu namorado ou com a sua namorada. Diga a Ele o quanto você o ama e quão importante Ele é pra você. Quando você se fadigar com essa oração dia e noite, então você passará conhecer o amar ao Senhor. É bem simples, na verdade. O Senhor é totalmente desejável. Quando gastamos tempo com Ele vamos descobrindo as minúcias do seu Ser e vamos nos apaixonando aos poucos. Ele logo tomará todo o nosso coração. A experiência de oração se tornará uma delícia desejada. As noites se tornarão mais vivas que o dia, enquanto gastamos tempo nos aposentos do Rei nos deliciando com Ele.

 De toda a tua alma 

Amar o Senhor de toda nossa alma me pareceu, em principio, um mistério. Mas o Senhor iluminou um pouco a minha visão. Um dos livros que mais fala sobre esse tipo de amor à Deus é o livro de Salmos. Ele desvenda, em grande medida, o que este mandamento quer dizer quando nos ordena a amar a Deus com toda nossa alma.

Mas antes de prosseguir temos que entender o que é essa alma. Alma aqui vem do grego 'psiquê' e é a vida intermediária entre o corpo e o espírito. A alma representa quem nós somos, nossos medos, anseios e alegrias. Representa, de forma bem prática, a nossa vida e quem nós somos.

Este aspecto do amor a Deus é o mais complicado, assim como é complicada a nossa alma. Mas quero aqui deixar transparecer o que o Senhor me mostrou nestes textos de Salmos. Todos os textos, sem exceção, mostram mais os benefícios que Deus trás para nossa alma do que necessariamente o amor a Deus.

A alma é a parte do nosso ser que mais se agita e se confunde em muitas coisas. A nossa mente até pode ser enganada e engodada, mas é possível permanecer sensato em certa medida. Nossa alma, entretanto, é um animal irracional que não tem inteligência ou controle. Distante de Deus passamos, em nossa alma, por todo tipo de dificuldade. Por poucos motivos ficamos abatidos e desanimados e logo desfalecemos. Mas quando isso acontece o nosso amor pelo Senhor deve ser tal que anime a nossa alma de um modo que ela se alegrará e louvará este Deus maravilho. Até mesmo o salmista passou por isso: "Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus" Salmos 42:11.

Veja este texto do Salmo 116: "Volta, minha alma, para o teu repouso, pois o Senhor te fez bem" Salmos 116:7. Aqui vemos que, quando amamos o Senhor com toda a nossa alma, ainda que estejamos agitados e abatidos, encontramos repouso. Amar o Senhor, até nesse sentido nos é benéfico.

Assim, quando estivermos abatidos, atribulados ou confusos, sabemos que temos um Pai que nos dá repouso para nossa alma. Quando achamos refúgio nesse Deus, então podemos descansar. Amar a Deus com nossa alma é confiar que Deus está à frente em todas as coisas, que está no controle e que eu posso descansar e esperar que Ele realize todas as coisas por mim. Portanto podemos resumir, de certa forma, com o seguinte texto: "Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará" Salmos 37:5.

 De todo o teu entendimento 

Amar o Senhor de todo o nosso entendimento significa exercitar nosso amor a Ele. Esse tipo de amor é reflexivo, ele gasta tempo meditando e se voltando para compreender melhor todas as coisas espirituais. É a faculdade de colocar a nossa mente no amor a Deus. Em outras palavras, para amar o Senhor de todo o entendimento, devemos colocar a nossa mente focada em compreender a vida espiritual de Deus. 

Como faremos isso? A própria palavra nos ensina. Veja este texto: "Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz" Romanos 8:5-6. Este texto é a chave para compreender o amor a Deus com todo nosso entendimento. Aqui essa palavra 'inclinação' significa 'colocar a mente em'. Quando a nossa inclinação é para a carne, ou seja, quando colocamos a nossa mente na carne, colhemos morte. Mas quando colocamos a nossa mente no Espírito, então colheremos a Vida de Deus.

Se amamos o Senhor, o nosso Deus, em verdade, então a nossa mente estará sempre voltada para o Espírito. Esse é um ponto muito interessante, porque é bem aqui que percebemos o quão mal nós somos. Podemos viver normalmente uma vida cristã, mas em nossa mente temos toda sorte de pensamentos e desejos que não estão de acordo com a vida que levamos. Não significa que nunca teremos pensamentos ruins, porque o diabo lança, a todo momento, dardos inflamados em nossa mente. Mas se amamos o Senhor como devemos, colocaremos o foco dos nossos pensamentos na santidade, amor e afeição do Senhor.

É aqui que a maioria de nós erra. Mais uma vez devido à falsidade e as máscaras que nos envolvem. Veja em quê sua mente está focada e você saberá o que você ama. Muitos amam seu trabalho, ou seus estudos e colocam sua mente com foco total nestas coisas. Se amamos o Senhor e queremos viver uma vida espiritual, devemos colocar nossa mente apenas Nele. É por isso que Pedro, ao andar sobre as águas, pereceu. Ele desviou de Jesus o seu olhar. A vida cristã verdadeira anda por sobre as águas agitadas do mar. Mas apenas quando colocamos os nossos olhos em Jesus. Ele é o autor e consumador da nossa fé e sem Ele não somos absolutamente nada.

Comentários