Personalidade Vs Caráter

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Sermão #Pregação #Devocional #Meditação #Carta #Epístola #Evangélico #Evangélica #Cristão #Lucas #Tiago #Daniel #João #Jó #Personalidade #Caráter #Negue-se a si #Deus #Senhor #Decisão de vida #Jesus #Firme Fundamento

Leitura: Lucas 9:23-24; Tiago 4:16-17; Jó 31:1, 5-6; Daniel 1:8; João 17:3.

Certo dia, participei de uma conversa sobre a diferença entre personalidade e o caráter do cristão e gostaria de dividir um pouco do que aprendi. Antes de tudo, vejamos o conceito destes dois termos:

A personalidade refere-se às características essenciais de alguém, como temperamento e comportamento; ela define quem a pessoa é no dia-a-dia e suas formas de interação com os outros. Já o caráter relaciona-se à ação habitual e constante, a escolha e a decisão, próprias de cada indivíduo. Logo, se por um lado a personalidade é a identidade do 'eu' por outro o caráter é a reação do 'eu' que influencia em seu padrão e forma de agir.

Mas o que isso tem a ver com o Evangelho e com a vida cristã? Muito me incomoda o paradigma cristão de tachar personalidade como caráter e vice-versa. Isso não deve ser confundido. Por nos definir enquanto pessoas, a personalidade pode influenciar, direta ou indiretamente, as escolhas que fazemos. No entanto, o que direciona, de fato, as decisões que tomamos é o nosso caráter. Assim, é importante perceber que essas duas palavras, apesar de caminharem juntas em nossa vida, são inteiramente distintas.

A Palavra nos mostra uma realidade muito interessante sobre isso. Lucas 9:23-24 nos diz: "Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará". Aqui o significado de 'negar a si mesmo' é negar suas escolhas pessoais; é negar as escolhas egoístas que fazemos; é possuir um caráter transformado. É, também, não se deixar influenciar por sua personalidade. Nesse sentido, a cruz de Cristo, que muitos consideram ser um peso, é na verdade escolher seguir o caminho do Senhor. Portanto o texto nos mostra um 'caráter cristão', que se define por negar o egoísmo das nossas escolhas para nos achegar ao Senhor, tomando a Sua cruz, que é um privilégio e uma alegria, e uma escolha racional e pessoal.

Mais do que uma opção do que fazer ou deixar de fazer, há uma decisão em nossa vida que precisa ser feita a cada dia. Não se trata de se converter unicamente, mas escolher viver intensamente com Deus a cada momento. A jactância precisa ser arrancada, pois mesmo que vivamos entre os irmãos podemos acabar deixando de escolher o Senhor. E uma vez conhecendo o santo Caminho, se não fazemos o bem, então pecamos. "Agora, entretanto, vos gloriais das vossas arrogantes pretensões. Toda glória semelhante a essa é maligna. Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando" (Tiago 4:16-17).

O capítulo 31 do livro de Jó nos mostra um bom exemplo desse 'caráter cristão'. A leitura inicia da seguinte forma: "Fiz aliança com meus olhos [...]" (Jó 31:1). É muito interessante que o primeiro ponto do capítulo seja uma aliança pessoal, que alguém fez em prol da santidade. A vida cristã deve se basear nessas alianças, como fizeram Daniel e seus companheiros ao chegarem em Babilônia (Daniel 1:8). O texto de Jó prossegue: "Se andei com falsidade, e se o meu pé se apressou para o engano (pese-me Deus em balanças fiéis e conhecerá a minha integridade)" (Jó 31:5-6). Devemos compreender a necessidade de ter integridade em nossa vida. Se escolhemos viver em santidade, cabe a nós viver integralmente aquilo que nos foi proposto.

Assim, tenhamos uma vida perfeita diante de Deus sem nos entregar às concupiscências e sabendo que tudo será pesado em 'balanças fiéis' no grande Dia do Senhor. Através da leitura da palavra e da oração, que por si só já se definem como uma escolha, nos achegaremos ao Senhor e fortaleceremos a nossa vida para permanecer firmes em Seu propósito. A cada dia Deus trabalha a nossa personalidade de forma a moldar nosso caráter, e assim fortalecendo nossa vida para escolhermos mais e mais a sua vontade. Assim já não seremos mais mesquinhos ou rancorosos, mas teremos comunhão com o Deus vivo e verdadeiro. Esta é a vida Eterna (João 17:3).

Comentários