Jesus lava os pés aos discípulos (João 13:4-5)

#Lavar os pés #Serviço #Evangelho de João #Estudo João #João 13 #Bíblia #Evangelho #Servo #Última Ceia #Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Bíblia #Sermão #Pregação #Meditação #Devocional #Comentário

"Levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela. Depois, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido" João 13:4-5.

Hoje eu considerei esse texto e percebi uma realidade tremenda. Nunca antes eu havia dado a devida atenção a este texto tão simples e sublime como hoje. O fato de Jesus lavar os pés aos discípulos quer dizer muitas coisas. Primeiro percebemos que nesse contexto Ele estava com seus discípulos e ceava. E logo em seguida ele passou a lhes lavar os pés.

O fato de Jesus se cingir demonstra que Ele era servo. Esse cingir significa que eles amarravam uma toalha à cintura para fazer as tarefas da casa, coisa que apenas os servos e escravos faziam. Que exemplo fora do tempo é o exemplo de Jesus! Ele se cingiu com aquela toalha em sinal de servidão e escravidão. Era como se ele dissesse que não era maior do que qualquer um daqueles que estavam ali naquele lugar, pois os lavava os pés, uma posição de humilhação extrema.

Jesus não fez isso sem um propósito. Ele queria nos ensinar uma lição (João 13:7). A vida cristã genuína é uma vida de limpeza, pureza e clareza. E quando seguimos este caminho somos limpos pela palavra de Deus. Entretanto, ainda assim precisamos lavar nossos pés. A poeira do mundo suja os nossos pés ainda que tenhamos nos banhado recentemente. E Jesus nos mostra essa realidade.

E Jesus vai além. Ele nos mostra, como o exemplo vivo que é, que na Igreja do Senhor nós precisamos lavar os pés dos nossos irmãos. Muitas vezes a minha vida se suja com o mundo e eu mesmo não tenho força ou percepção suficiente para me limpar. É neste momento que eu preciso de um irmão maduro para perceber a situação e lavar meus pés, colocando-se como meu servo para me abençoar.

Mas também não é este o exemplo que Jesus quer ensinar. Ele quer ensinar que nós, primeiramente, é que devemos nos humilhar ante aos nossos irmãos e lavar-lhes os pés. Cada um de nós, que faz parte do corpo vivo do Senhor, precisamos, com todo amor e cuidado, lavar os pés dos nossos irmãos. O serviço a Deus não é apenas um trabalho braçal que eu faço no prédio da igreja, mas um edificar vivo e santo que cresce espiritualmente casa viva do Senhor, que somos nós.

O grande problema é que a cultura deste século não permite, ainda que humildemente, receber quaisquer repreensões. A exortação e o cuidado mútuo são realidades bíblicas da Igreja viva de Deus e fundamentais para edificação mútua. Aqueles que tem medo da repreensão se escondem em suas regras, mas nós devemos viver como carta aberta lida e conhecida por todos. Para que Deus edifique sua Igreja é fundamental que a Igreja salgue a Igreja.

Devemos nos incendiar com a vida do Espírito Santo, que geme por nós incessantemente. Chega de infância e medo. É hora da Igreja despertar desse sono e se encher mutuamente do Espírito de Deus. A Igreja é responsabilidade minha e sua, que lê este texto. Cada um de nós, que somos escravos da justiça, edificamos uma parte deste edifício vivo que é o corpo de Cristo.

Jesus, neste texto, nos ensinava como nós edificaríamos o Seu próprio corpo. Quão grande é essa responsabilidade!

Comentários