Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião (Isaías 52:1)

#Comentário #Significado #Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Meditação #Devocional #Meditar #Pregação #Sermão #Isaías #Livro #Igreja #Bíblia #Porque #Sião #Pecado #Despertamento #Despertai #Arrebatamento

"Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupagens formosas, ó Jerusalém, cidade santa; porque não mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo" Isaías 52:1.

Uma triste realidade da nossa geração é que estamos todos adormecidos. A Igreja no Brasil está totalmente adormecida e também não deseja ser despertada. As denominações se corrompem pelo dinheiro e pela vaidade, enquanto a maior parte dos irmãos reproduz este sistema. Adoramos as pessoas e os sistemas e continuamos todos adormecidos em nossos práticas mortas.

Essa situação se repete independente da denominação ou da doutrina defendida. A própria divisão entre as denominações é um dos grandes fatores da frieza espiritual no Brasil. Deixamos de ser o "povo do Caminho" de Atos para ser batistas, presbiterianos, adventistas ou assembleianos. Divisões e mais divisões.

Também existem outros que se livraram da denominação julgando assim ser melhores que os da denominação. Na verdade não possuir uma denominação específica de nada vale se em nosso coração nós ainda somos facciosos. Veja o que Tiago nos diz sobre isso: "Se, pelo contrário, tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintais contra a verdade. Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca" Tiago 3:14-15.

Essa palavra nos mostra que, além de perceber a verdadeira revelação do que, de fato, significa a Igreja (clique aqui para ler), nós devemos viver conforme esta grande revelação. Viver a revelação da Igreja significa que todos somos irmãos filhos de um mesmo Pai e um mesmo povo debaixo da glória e majestade de um só Deus e Senhor. O povo de Deus não diferenciava entre Judeu e Grego no tempo de Paulo (apesar de que por vezes o judaísmo teimava em tentar sobrepujar os gentios), nem tampouco deve se diferenciar entre uma coisa ou outra em nosso tempo.

Também vejo muitas pessoas se gabando pelas doutrinas que defendem ou mesmo julgando outros irmãos por causa de suas doutrinas. Eu mesmo já fui assim e tenho percebido como é uma prática morta e infrutífera que não leva a lugar algum. Não cabe a nenhum de nós considerar aquilo que cabe apenas a Deus julgar. Se Jesus, sendo o Deus encarnado, não julgou nem mesmo uma mulher que foi pega em pleno adultério, como nós iremos julgar os seus filhos, criados à nossa semelhança e fraqueza?

Estas coisas nos mostram como estamos mortos e adormecidos em muitas práticas carnais. Se estivéssemos, de fato, no Espírito, já não mais haveria Judeu ou Grego, batista ou presbiteriano, pois todos seríamos irmãos e filhos de um mesmo Pai. Não digo que entendemos diferente disso. Todos sabemos destas coisas, mas o que nós praticamos? Compreender uma verdade espiritual não significa que mudei a minha postura. Nos avivamentos do passado percebemos como houve uma mescla de tantos quanto criam no Senhor, independente do seu credo ou denominação. No Reino de Deus não há denominação, pois não existe espaço para o homem.

Para que um avivamento seja possível em nosso dias precisamos de homens e mulheres que estão despertados, revestidos de força e das roupas formosas que nos cabem. Devemos nos arrepender no pó e na cinza e nos voltar para Deus que é misericordioso. Devemos lavar as nossas vestes, vestir as vestes nupciais, porquanto se aproxima o Noivo e o dia do seu Juízo é chegado. Não sou eu quem digo, mas o Espírito confirma em nossos corações que é chegado o Dia da Glória do nosso Deus e nós, enquanto seus filhos, devemos preparar o caminho do Senhor para sua volta. Vem Jesus!

É tempo de arrependido e de despertar do nosso sono. Desperta enquanto é tempo, óh Sião! Deixemos o nosso pecado e as nossas vaidades para que o Senhor reine no nosso meio! Desperta povo de Deus, porque é chegado a sua redenção! Se aproxima o Rei da Glória e trará com ele os remidos dos quatro ventos da terra, todos quantos se lavaram no sangue do Cordeiro e não se entregaram às mulheres nem as prostituições deste mundo. Que o Senhor levante este povo! Povo forte e vitorioso. Levanta-nos, óh Pai! Ergue o teu nome com poder em nosso meio. Amém!

Comentários