A religião dos fariseus modernos

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Sermão #Pregação #Mensagem #Palavra #Meditação #Devocional #Catequese #Versículos #Bíblia #Evangelho #Evangélico #Evangélica #Cristão #Cristo #Jesus #Deus #Mundo Gospel #Religião #Fariseus #Escribas #Saduceus #Academicismo #Engano Cristão #Sã doutrina #Verdade #Bíblia #Realidade #Sistema humano #Fermento

 Introdução 

Já há algum tempo que tenho o desejo crescente de escrever sobre este tema, mas não havia ainda recebido do alto a incumbência necessária e nem o ardor do Espírito, até então. Vejo que passou a hora de percebermos a realidade do povo de Deus em nossos dias para perceber a triste realidade em que vivemos.

Antes de mais nada eu gostaria de tratar sobre o termo "Mundo Gospel".

 O Mundo Gospel 

Quando tratamos acerca de 'mundo' ou de 'século', falamos da construção diabólica construída pelo diabo e seus anjos. A palavra nos revela que o "mundo todo jaz no maligno" (1 João 5:19). Nos revela também que este mundo possui um príncipe e que ele nada tinha em Jesus (João 14:30). O príncipe deste mundo é o diabo e ele domina sobre todos os pecadores que não se arrependeram de suas más obras, para viver para o Deus vivo.

O diabo, o príncipe deste século, já engodou, há muito tempo, aqueles que caminham para a destruição. Mas o seu trabalho principal é destruir a construção de Deus nesta terra, a Igreja. Quando o diabo engoda os corações dos cristãos com todo tipo de sofisma e os tais não atentam para o Senhor, então está criado um ambiente novo, que chamaremos, neste texto, de 'mundo gospel'. Este mundo gospel, apesar de ser 'cristão', não permanece na vontade de Deus e por isso não pode fazer parte dela e, muito menos, do seu edifício vivo que é a Igreja. Isso pode ser constatado na segunda epístola de Pedro. Vejamos:

"Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro" 2 Pedro 2:20.

Veja que aqui Pedro menciona que os cristãos podem ser vencidos. Essa derrota é sim possível e muito mais comum do que se pensa. O cristianismo religioso tende a enganar os pequeninos para os fazer pensar que todo cristão é vitorioso, cheio de bênçãos e que nunca terá problemas, independentemente da vida que vive ou do seu pecado e iniquidade. Mas a verdade é que a grande massa está nessa situação, derrotada.

O diabo, o príncipe deste século, tem adentrado nas igrejas com mentiras diabólicas que trazem uma realidade sombria e distante da presença do Senhor. Não tenho medo de dizer que hoje essa religião cristã se tornou como uma grande árvore e as aves do céu vieram fazer morada nos seus ramos (Mateus 13:32). Não é a toa que Jesus disse aos discípulos: "Adverti, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus" Mateus 16:6, pois um pouco de fermento leveda toda a massa.

É um engano tremendo achar que hoje o único interesse nas igrejas é a edificação do Templo do Senhor. Política, dinheiro, pecado, lisonjas, interesse próprio, nome. Tudo isso (e muito mais) entrou nas congregações e causaram um dano, possivelmente, irreparável. Eu poderia citar os muitos e muitos erros e deslizes que são praticados todos os dias, mas vou me ater aos que realmente importam e que são basilares para todos os outros.

 Doutrinas interesseiras 

Cada congregação da atualidade possui um conjunto de doutrinas por ela seguida. Isso pode, em princípio, parecer bom. Entretanto, o que vemos na prática, é um todo engessado e impossibilitado de crescer ou de alcançar a graça de Deus. Quando julgamos ter alcançado o conhecimento ou a revelação das escrituras, engessamos a obra de Deus em nossas vidas. Mesmo Paulo, após tantas coisas, não julgava ter alcançado coisa alguma:

"Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" Filipenses 3:13-14.

Hoje o que presenciamos não é o amor de Cristo por todos os homens, mas interesses e facções doutrinárias. Como pode ser isto, visto que somos um só corpo em Cristo? Esquecemos que fomos todos alcançados pelo Senhor, para edificarmos para nós mesmos obras paralelas àquela que Deus está edificando.

Pastores por vezes temem levar a palavra com realidade com o medo de espantar os fiéis dizimistas dos cultos, sendo que nem mesmo Jesus, com toda sua simplicidade fez tal coisa. Pelo contrário! Jesus disse: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos" João 6:53. E não satisfeito após muitos discípulos terem o abandonado, perguntou aos doze: "Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?" João 6:67.

 Conformados ao mundo 

"E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" Romanos 12:2.

O pedido de Paulo na carta aos Romanos ecoa até ao dia de hoje.

Um dos grandes erros dos crentes é se deixar macular pelo mundo, pelas atitudes e modos do mundo. Isso se dá, em grande medida, pela forma como as denominações se organizam. Em geral, as denominações são aglomerados de cristãos que na grande maioria não se conhecem e não fazem ideia da vida de cada um que está ali do lado. É uma grande 'anarquia gospel', como cita Judas, pastores que a si mesmos se apascentam sem temor (Judas 1:12).

Todos sabem; todos entendem, mas nenhum deles se submete à vontade de Deus. A fama e a riqueza são pré-requisitos para o respeito e os ministérios. Decaímos da graça de Deus e dos dons do Espírito Santo. O louvor, igualmente, foi maculado pelas produções milionárias e pelo musicismo. Não há mais poder, pois o povo de Deus não tem voz para falar coisa alguma. Quem tem poder de fala são os escolhidos a dedo por aqueles que dominam o sistema. E de preferência que se mantenham tudo dentro de casa.

O dinheiro jorra como água, mas a água verdadeira se esvai cada vez mais. E isso tem explicação. Na verdade erramos por não conhecer as escrituras nem o poder de Deus. Jesus disse certa vez: "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas" Mateus 6:24. Quando servimos as riquezas, que aqui entenda-se dinheiro, deixamos Deus de lado. Veja a sua volta. Quantas vezes servimos a Deus em detrimento ao dinheiro? E se servimos ao dinheiro, certamente deixaremos de servir a Deus. Mas se servimos a Deus, de coração, então o dinheiro não fará diferença.

É por esse motivo que eu desconfio de todos quantos possuem grandes templos a Deus. A árvore é conhecida pelos seus frutos. Se os frutos de uma denominação são os templos luxuosos ou dinheiro que ela possui, certamente temos um grande impasse bíblico. Devemos buscar a simplicidade, até mesmo a pobreza se necessário, a fim de fugir do domínio do dinheiro.

 O Academicismo 

Outro ponto, que por vezes venho citando, é o academicismo. E aqui eu gostaria de frisar a diferença entre conhecer as escrituras do academicismo. O academicismo é quando buscamos o conhecimento da palavra de Deus sem o seu poder. Quando ficamos no campo das ideias e a palavra de Deus não muda nossa vida. Isso é o academicismo. Se não há poder, então dificilmente existirá vida, pois o evangelho "é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê" Romanos 1:16.

Se não há vida prática, experiência de vida e poder de Deus, então nada somos diferentes dos fariseus da época de Jesus. Veja o que Jesus disse sobre eles:  "Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Atam fardos pesados [e difíceis de carregar] e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los" Mateus 23:3-4.

A alternativa ao academicismo é a fé verdadeira e a simplicidade. Não necessitamos saber nem pensar além daquilo que convém, conforme nos ensina Paulo: "Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um" Romanos 12:3. Não significa que devemos ficar alheios a verdade das escrituras, mas que no seu tempo devido consideraremos todas as cosias.

Uma vida de fé não significa, necessariamente, que teremos todo o conhecimento. Na verdade o ponto não deve ser o conhecimento e sim "o poder de Deus para a salvação do que crê" e a comunhão com o Espírito. Você verá que quando sua busca não se baseia no conhecimento, aí então Deus derrama sobre você todos os mistérios do reino. "Porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade" Colossenses 2:9. É como se seu pai carnal fosse um exímio músico. Nós, como filhos, teríamos, naturalmente, a possibilidade de aprender todas as profundezas da música e das teorias musicais. É um processo natural. De igual forma, primeiro devemos conhecer esse grande Pai que temos, para ai então, ele nos abençoar e nos revelar todas as coisas.

 Onde estão os profetas? 

Por fim eu gostaria de fazer um apelo aos profetas. No novo testamento, ao contrário do que muitos pensam, ainda existem profetas. O ministério profético no Novo Testamento é muito importante, pois confere equilíbrio e visão de Deus para a Igreja.

Infelizmente outra característica negativa do nosso tempo é que todos são pastores e atuam da mesma forma. Em geral não há evangelistas (de ministério), nem profetas, nem mestres, pois todos são pastores. Eu mesmo que vos escrevo não tenho ministério pastoral.

É necessário que os profetas do Senhor, cheios do Espírito Santo e de intrepidez, ergam sua voz e falem com coragem a real mensagem da cruz de Cristo. "Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz" Provérbios 29:18. Por não haver mais profecia (que não significa dom de profecia, mas a revelação do Senhor específica para direcionamento do povo de Deus), o povo tem se corrompido cada vez mais.

Os profetas são os atalaias do Senhor do nosso tempo, que nos informam do inimigo por vir. Se o atalaia não tocar a trombeta todos perecerão. Toque sua trombeta meu irmão! Vamos acordar o povo de Deus que está adormecido.

Comentários