A verdade sobre o Natal

#História do Natal #Natal #Paganismo #Engano #Papai Noel #Nascimento de Jesus #Deus sol #Pregação #Árvore de Natal #Estudo #Explicação #Esboço #O que é #Solstício

A postagem de hoje não poderia deixar de ser especial. Isso por se tratar da suposta data do nascimento de Jesus e por ser um dia tão celebrado e adorado por todos. Mas como aqui no blog temos uma única responsabilidade, que é de compartilhar Cristo às pessoas, veremos o que é o natal em sua essência e como surgiu essa data através do prisma histórico.

Quando tratamos da cultura dos povos e de seus costumes temos que tratá-los como sendo uma evolução e uma construção social, histórica e cumulativa. Sendo assim, percebemos que as manifestações sócio-culturais não são obra do acaso, mas o resultado de muitos anos de interações sociais religiosas ou não. Não existe nada mais definitivo, neste sentido, do que o próprio calendário em si. No ocidente vivemos segundo o calendário Cristão, que significa que este calendário é contado a partir da vinda de Jesus Cristo ao mundo.

Entretanto Jesus não foi o único influenciador deste modo de contar os dias, nem mesmo foi a única fonte de inspiração para o natal como o conhecemos. De acordo com alguns registros históricos o Natal foi celebrado pela primeira vez no dia 6 de janeiro baseado no antigo calendário juliano. Não existe concordância entre os cristãos sobre uma data específica do nascimento de Jesus. Alguns cristãos acreditam que ele tenha nascido no final do verão ou no início do outono e alguns dizem que foi durante a primavera.

O Nascimento de Jesus

Mas o que a palavra trata sobre isso? Especificamente a palavra não menciona uma época ou data, entretanto vemos algumas peculiaridades em Lucas 2:8. Vejamos: "Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite". Dezembro é a época das chuvas na Palestina e o clima lá é bem frio. Os pastores não deixavam seu rebanho nos campos durante a época fria de dezembro, mas em meados de outubro quando o clima é mais ameno. Portanto, vemos uma inconsistência, à luz da palavra, quanto ao nascimento de Jesus em Dezembro.

A origem

Mas de onde, então, surgiu esta data? Muitos dizem o natal têm sua origem na festa de Mitra, que surgiu há cerca de 4000 anos. Mitra era o deus da luz na antiga Pérsia e o Sol era o seu símbolo. Os persas utilizam deste simbolo de Mitra em sua bandeira há cerca de 2500 anos (Veja a imagem).

Para comprovar este fato vemos que há uma festa Mitraica, no período entre 17 e 24 de dezembro. O dia 21 de dezembro, que é o solstício de inverno, ainda é comemorado no Irã e é chamado de "Yaldã" (artigo em inglês: http://en.wikipedia.org/wiki/Yald%C4%81). Interessante notar que “Yaldâ”, no termo persa, significa nascimento de Mitra. Ou seja, esta é a data em que os adoradores de Mitra celebram o nascimento da sua divindade.

Já na idade média, a religião Mitraica foi difundida pelo Império Romano e ganhou muitos adeptos, permanecendo firme até meados do século IV. Ela era uma religião oculta, misteriosa e cheia de rituais de iniciação (artigo em inglês: http://en.wikipedia.org/wiki/Mithraists). Interessante que este foi o período em que a recém formada Igreja sofreu mais perseguição e afronta por parte do Império Romano. Mas, após a conversão do imperador Constantino em 313 d.C., e a instituição do cristianismo como a religião estatal romana, o cristianismo se espalhou por todo o império e o mitraísmo foi perdendo seu espaço, especialmente em Roma e Alexandria.

Apesar de tudo isso, a festa mitraica do nascimento do Sol continuou firme, pois era um momento conveniente para ser 'feliz' em meio ao frio do inverno. Constantino, apesar de convertido ao cristianismo, continuou celebrando esta festa pagã e a transformou em um feriado "cristão", substituindo o nascimento de mitra pelo nascimento de Jesus.

A Árvore de Natal

O uso de árvores nas festas de Natal tem origem na Alemanha, onde ela foi usada na adoração e celebração do Yule (artigo em inglês: http://en.wikipedia.org/wiki/Yule), uma festa pagã em celebração ao deus-sol.  Essa festa também foi substituída pelo Natal, pois não era interessante à época sua destituição, visto seu poder social. A árvore de natal, portanto, representava vida e também era considerada como um símbolo fálico no culto da fertilidade.

Os presentes

A origem da troca de presentes do Natal é, provavelmente, oriunda da Saturnália, que era um festival romano em honra ao deus saturno. Uma das características da Saturnália era exatamente a troca de presentes. No século IV dC essa festa também foi absorvida pela comemoração do natal e acredita-se que tenha sido essa a origem das trocas de presentes do natal.

O Papai Noel

Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 depois de Cristo. O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximas às chaminés das casas. Ele foi transformado em santo (São Nicolau) após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele.

A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal. Interessante a relação, não (São Nicolau x Santa Claus)?

Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura. Em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho. A roupa nas cores vermelha e branca, com cinto preto, criada por Nast foi apresentada na revista Harper’s Weeklys neste mesmo ano.

Em 1931, uma campanha publicitária da Coca-Cola mostrou o Papai Noel com o mesmo figurino criado por Nast, que também eram as cores do refrigerante. A campanha publicitária fez um grande sucesso, ajudando a espalhar a nova imagem do Papai Noel pelo mundo.

Conclusão

Não é a toa que Paulo nos adverte para “não nos amoldar a este século” (Romanos 12:2). Este século é dominado por um príncipe que se chama diabo e satanás, que engana o mundo inteiro (Apocalipse 12:9). Hoje como cristãos devemos saber que essa construção do mundo é arquitetada pelo diabo. E o único objetivo dele é cegar os nossos olhos para não enxergarmos a realidade que vivemos. Não se engano meu irmão! A vida cristã não se baseia apenas naquilo que o olhos vêem ou que os ouvidos ouvem. Quando você coloca essas coisas de natal em usa casa, você está permitindo que muitos espíritos malignos entrem em sua residencia e causem todo tipo de confusão.

Não seja tolo para não cair em impiedade! Porque a respeito desses também profetizou Judas, irmão de Tiago, ao dizer: "Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas" (Judas 1:12). 

Devemos viver neste mundo como se não vivêssemos! Devemos sair do arraial como Moisés fazia, a fim de encontrar o Rei da Glória, aquele que enche todas as coisas com a pureza da Sua presença.

Comentários