O fim da vossa fé: a salvação da vossa alma (1 Pedro 1:9)

#Estudo #Esboço #Explicação #O que é #Comentário #Significado #Características #Sermão #Pregação #Mensagem #Palavra #Meditação #Devocional #Catequese #Versículos #Bíblia #Evangelho #Evangélico #Evangélica #Cristão #Cristo #Jesus #Deus #Fé #Carta #Epístola #1 Pedro #Salvação #Salvação da alma #Vida cristã #Salvação verdadeira

"[...] obtendo o fim da vossa fé: a salvação da vossa alma" 1 Pedro 1:9.

Leitura: 1 Pedro 1:3-9; Efésios 2:4-6; João 5:39-40; João 14:15-18; Jeremias 18:1-6; Apocalipse 3:20; Hebreus 12:1; Romanos 12:1-2; Efésios 4:1-6; 2 Pedro 1:10; Daniel 3; João 17:15; Filipenses 3:8-11.

Hoje trataremos de um tema abordado na primeira carta de Pedro, a salvação da alma. Diferente do que muitos pensam a salvação não é estática. A salvação não é apenas um fato no passado ou alguma coisa que ainda há de se revelar no porvir, mas é uma busca constante por aquilo pelo qual nós primeiramente fomos chamados.

A salvação tem três aspectos: passado, presente e futuro. No passado o Senhor Jesus já nos salvou, mesmo que ainda nós estivéssemos mortos em delitos e pecados (Efésios 2:4-6). Ele já nos regenerou e essa salvação de Deus por nós no passado é cabal e absoluta, como mencionado em Efésios. Existe também o aspecto futuro da salvação. É acerca dessa salvação que Pedro menciona no versículo 5, aquela salvação “já prestes para se revelar no último tempo”. Mas hoje focaremos nossa conversa no aspecto presente da salvação. Pedro retrava essa salvação quando ele nos diz que Deus nos “regenerou para uma viva esperança”. A nossa esperança não é estática mas viva e eficaz. Um dos graves erros dos amados irmãos é considerar a vida com Jesus uma espera por algo futuro ou um fato consumado no passado. Não! Temos uma esperança que é viva!

Vamos pensar na salvação presente como sendo uma carreira. Essa carreira possui alguns pontos que merecem ser mencionados para que consigamos alcançar a vitória. Uma das coisas mais fundamentais talvez seja possuir uma vida focada em Jesus e na vida com Ele. Tenho percebido que talvez o maior trunfo do diabo não é enfrentar a Igreja de frente, mesmo porque ele não tem tanto poder. Ele, por sua vez, tira a nossa atenção com coisas que não são importantes e nos faz esquecer de trilhar essa carreira.

Na nossa vida prática isso se representa nas palavras de Jesus em João 5:39-40. Nessa passagem Jesus repreendeu os fariseus que buscavam estudar as escrituras, mas não iam até Jesus ter vida. Essa palavra é fundamental! Muitas vezes a nossa vida cristã é religiosa. Vivemos superficialmente a vida cristã sem conseguir tocar em Jesus de fato. Mas irmãos, precisamos ir a Jesus para ter vida em nós mesmos. Se não nos esforçarmos para alcançá-lo certamente não teremos vida. Tenha cuidado para não estar vivendo uma vida de religião. Examine a sua vida irmão. Busque o Senhor com humildade. O Senhor nos deixou tesouro enorme que é o Espírito Santo, o Consolador. É através dele que nos achegamos a Jesus.

O maior dificultador dessa vida não é o diabo, mas somos nós mesmos. Em toda a nossa altivez e orgulho nós dificultamos o trabalhar de Deus em nossas vidas. Mas lembre-se meu irmão nós somos vasos de barro! E o Senhor, assim como ele fez com o oleiro (Jeremias 18:1-6), deseja nos moldar conforme Sua santa vontade. Se nós não permitirmos que Deus nos molde, se não permitimos o trabalhar Dele em nossa vida, não conseguiremos alcançar coisa alguma. Devemos entender que o trabalho Dele começa no interior das nossas vidas. O Senhor está a cada momento batendo à porta das nossas vidas querendo entrar (Apocalipse 3:20). Essa palavra é muito usada para evangelizar as pessoas, mas devia ser pregada na Igreja! Precisamos nos abrir para que Deus entre e faça morada conosco.

Arranque da sua vida tudo aquilo que impede o trabalhar de Deus na sua vida. Lidar com o pecado é muito fácil, e não dele que eu estou falando. O pecado é uma consequência de um estilo de vida. Nós devemos arrancar os embaraços das nossas vidas (Hebreus 12:1). Embaraço é tudo aquilo que não é pecado, mas nos impede de nos achegar a Jesus. Por exemplo: imagine que você tira uma hora diária para oração, quando chega do serviço. Por um tempo você consegue orar, mas com o passar do tempo você descobre aquele programa fantástico exatamente no horário de oração e lentamente vai esquecendo de orar. É pecado assistir um programa? Não, mas esse programa está minando a sua vida espiritual. É disso que tratam os embaraços e eles são os grandes vilões de hoje, e não o pecado em si.

Tudo isso se passa por uma pequena coisa que são as nossas escolhas. Se você tem uma vida derrotada irmão tenha certeza que foi unicamente a sua escolha que te levou a essa situação. Tome a responsabilidade para si, se arrependa e escolha o Senhor hoje, enquanto é tempo! Assim como Paulo eu rogo a você que está lendo este texto tão simples a tomar sobre si a responsabilidade de se achegar a esse Deus maravilhoso. Este é o nosso culto racional mencionado em Romanos 12. É uma escolha diária, constante que nos levará ao nosso grande objetivo. Defina isso em sua mente irmão. Escolha servir o Senhor e não se contaminar como fez Daniel!

Uma coisa que nos ajuda a permanecer firmes nesse propósito é a diligência. Pedro nos diz na sua segunda epístola que se fizermos firmes a nossa vocação e eleição, jamais tropeçaríamos (2 Pedro 1:10). Fique atento, vigie sua vida, seu caminhar a cada momento a cada instante. Irmão não entregue ao acaso a sua vida e o seu futuro! Muita gente hoje em dia tem orado para que Deus avive a Igreja, mas essa oração não é correta. Efésios 4:1-6 nos diz outra coisa. Aqui Paulo roga aos irmãos para andarem de modo digno da vocação a que foram chamados, a se esforçarem por manter a unidade do Espírito pelo vinculo da paz. Isso resulta em um corpo, um espírito, uma só fé, etc. Ou seja, o avivamento real e profundo na Igreja começa na minha e na sua vida. O avivamento não é um trabalhar exterior de Deus que nos alcança, mas um borbulhar interno do Espírito que faz também borbulhar nas vidas das outras pessoas.

Mas o texto de 1 Pedro não é apenas alegria, ele também nos diz que, se necessário, seriamos contristados por muitas provações, e assim, a nossa fé seria provada. A provação é uma realidade. Todo cristão passará por lutas e provações para que a sua fé seja purificada. E nós não filosofamos com isso. Aqui provações são de fato dificuldades, lutas, falta de dinheiro, pobreza, perseguição. Mas no momento que passarmos por elas não nos desesperaremos, pois somos mais que vencedores! Aleluia! Nisso também nos gloriamos, porque se somos açoitamos, por Senhor o somos. Sofrer pelo Senhor não é uma dificuldade, passa a ser uma honra. O Senhor Jesus é totalmente digno de receber a recompensa de seus sofrimentos! Ele não sofreu em vão, mas nos deixou exemplo para o seguirmos. E assim como os amigos de Daniel fizeram em Daniel 3, nós devemos passar as dificuldades com a certeza que em todo momento estaremos acompanhados pelo Filho do homem que se faz presente conosco em meio à fornalha.

Por fim irmãos, sejamos como Paulo que diz: “Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos" (Filipenses 3:10-11). Esse texto retrata bem a salvação presente. É uma luta perseverante, sofreremos aflições, seremos atribulados, mas tudo isso com a esperança da glória a ser revelada em nós! Essa, irmão é a nossa esperança. A salvação que há de se revelar no último tempo e é por isso que nos fadigamos, porque o Senhor há de nos revelar uma realidade tremenda e gloriosa. Que o Senhor seja sempre o nosso alvo!

Ah Senhor Jesus! Rei de Reis! Senhor de Senhores! Louvado seja eternamente!

Comentários