A escolha dos Doze Apóstolos



Leitura: Mateus 9:37-38; 10:1-8; Eclesiastes 4:9-10; Marcos 3:18; Lucas 6:15; Lucas 6:15; Atos 1:13.

“E, chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal.Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão;Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Lebeu, apelidado Tadeu;Simão o Zelote, e Judas Iscariotes, aquele que o traiu” (Mateus 10:1-4).

Em 10:1-4 temos a escolha dos doze apóstolos. Embora a Bíblia não diz isto, mas creio que estes doze discípulos oraram segundo a palavra que o Senhor havia lhes dados nos versos 37 e 38 do capítulo anterior (9). Aliás, este é um princípio da Bíblia, quando oramos ao Senhor, Ele pode nos enviar para realizar aquilo pelo qual temos orado. Quando o discípulos ouviram a palavra do Senhor pedindo-lhes que rogasse ao Senhor da seara para que enviasse obreiro, eles certamente oraram ao Senhor. E o que fez o Senhor? – Respondeu-lhes a oração enviando-os. Assim, ao orar, precisamos estar dispostos a ser a resposta de nossas próprias orações.

Antes do capítulo 10 o Senhor levou a cabo sozinho o Seu ministério. A partir desse capítulo os doze apóstolos foram convocados para cooperar e expandir a Sua obra. A palavra apóstolo significa “enviado”. Assim, Uma vez que estes doze discípulos (vs.1) foram enviados, tornaram-se, portanto, os doze apóstolos. Ao enviar estes doze, o Senhor arranjou-os em pares: Simão Pedro e André, Tiago e João, Filipe e Bartolomeu, Tomé e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu, Simão o Zelote e Judas Iscariotes.

Precisamos tomar este princípio do Senhor para nossas vidas. Todos devemos andar em pares. Nenhum de nós, especialmente os jovens, deveriam ir a qualquer lugar sozinho. A presença de um outro irmão sempre nos dá cobertura. A palavra diz: “é melhor serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante” (Ec. 4:9-10). Assim, sempre que o Senhor te der um encargo de ir a certo lugar proclamar a Sua palavra ou repartir com alguém a sua experiência com o Senhor, não vá sozinho. Antes vá aos pares. Se não tem outro companheiro, você perderá a benção. Essa não é minha opinião, mas é o que diz a palavra do Senhor. Portanto, todos devemos aprender esta lição de sermos emparelhados e estar unido com outros.

Os Evangelhos de Marcos e Lucas nesta mesma passagem citam Mateus antes de Tomé (Mc. 3:18; Lc. 6:15), mas Mateus, o autor deste Evangelho, coloca-se depois de Tomé. Isso mostra a sua humildade. No versículo 3 Mateus especificamente aponta a si mesmo como “publicano”, lembrando-se com gratidão de sua salvação no Senhor. Isto não é lindo? Um publicano e pecador desprezado pôde tornar-se um apóstolo do Senhor Jesus. Que salvação maravilhosa!

Simão o Zelote (cananita) era par de Judas Iscariotes, aquele que traiu o Senhor. “Cananita” vem do hebraico kanna, zeloso, referindo-se a uma seita da Galiléia conhecida como os Zelotes e não à terra de Canaã(ver Lc 6:15; At. 1:13). Iscariotes é uma palavra grega, provavelmente do hebraico, que significa um homem de Queriote. Assim, Judas era o único apóstolo da Judéia; todos os restantes eram galileus.