Evangelho de Mateus - Não conhecer segundo a carne


Estudo de Mateus - Capítulo 2
Não conhecer segundo a carne

“Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne (não segundo a revelação do Espírito), já agora não o conhecemos deste modo” (II Co. 5:16).

1. A soberania de Deus no nascimento de Jesus

A linda história do nascimento de Jesus é bem conhecida mas acredito que com podemos lançar um pouco mais de luz. Bom, Maria concebeu do Espírito uma criança em Nazaré (Lc. 1:26-27,31). Entretanto, de acordo com a profecia em Miquéias 5:2, Cristo nasceria em Belém. Assim, sob o arranjo soberano de Deus, César Augusto ordenou o primeiro censo do Império romano (Lc. 2:1-7). Isso forçou todas as pessoas a retornarem a seus lugares de origem. Maria e José, portanto, foram forçados a retornar a Belém, sua cidade natal. Imediatamente após chegarem a Belém, o menino Jesus nasceu. O erro dos magos fez surgir o ódio e o ciúme do rei Herodes, que ficou irado porque um menino havia nascido para ser Rei de Israel. Então, José recebeu uma orientação em sonho para levar o menino para o Egito (Mt 2:13-15). Isso possibilitou a Deus cumprir a profecia de Oséias 11:1, “...do Egito chamei a meu filho...” . Após Herodes ter morrido, José recebeu uma palavra em um outro sonho para retornar à terra santa (Mt. 2:19-20). Quando José retornou e viu que Arquelau, o filho de Herodes estava no poder, temeu ficar no território ao redor de Belém. Assim, foi para Nazaré, onde Jesus cresceu(vs 21-23). Por esta razão foi Jesus chamado de Nazaré.

2. O nascimento de Jesus foi misterioso

Quando Jesus nasceu na raça humana, Ele nasceu de uma maneira um pouco secreta, não de maneira pública ou evidente. Todos O chamavam Jesus de Nazaré, mas Ele nasceu em Belém, portanto, era um Belemita. Na verdade, a maneira oculta do nascimento de Cristo incomodou e confundiu a todos os religiosos. Quando Felipe encontrou Jesus, teve a revelação que Ele era o Messias, então foi a Natanael e disse-lhe que tinha achado o Messias e que era filho de José, um homem de Nazaré. Como Natanael era conhecedor das Escrituras e sabia que o Messias certamente nasceria na cidade real de Belém, imediatamente ele questionou: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?” João 1:45-46). O que aconteceu neste diálogo? Filipe deu a Natanael a informação errada? Natanael, por arrogância rejeitou a sua palavra? Ora, Filipe apenas sabia que havia encontrado a Jesus, o Messias, e que era o filho de José e que Ele era um nazareno. Natanael, por sua vez, ficou confuso com a informação pois sabia que o Messias viria de Belém e não de Nazaré. Filipe, todavia, não argumentou com ele; simplesmente disse: “Vem e vê” (Jo 1:46).

3. Ele Confundiu os religiosos

Em certa ocasião, Nicodemos, que havia vindo conhecer Jesus, tentou argumentar com os fariseus com respeito a Ele. Os fariseus lhe perguntaram: “Dar-se-á o caso de que também tu és da Galiléia?” (Jo. 5:52) A Galiléia era uma região gentia, desprezada por todos. Com esta palavra a Nicodemos os fariseus pareciam dizer: “você também é da Galiléia? Por que você defende Jesus? Nós todos sabemos muito bem, pelas Escrituras, que da Galiléia não se levanta profeta, você não sabe isto?”. Eles estavam errados? Não! Estavam certíssimos. As Escrituras nos relatam veemente que O Messias Nasceria da linhagem de Davi e portanto nasceria na cidade real de Belém. Portanto, “aparentemente” Jesus era da Galiléia, de Nazaré, mas na verdade, Ele nasceu em Belém. Os caminhos do Senhor são maravilhosos.

Como Jesus, não devemos fazer uma exibição de nós mesmos. Hoje os religiosos de nosso tempo fazem demonstração de seu “grande conhecimento e poder” mas infelizmente estão confuso acerca de Cristo. Tão pouco, devemos conhecer os outros segundo a aparência exterior. Devemos sim, conhecer-nos mutuamente segundo o espírito interior, “...a ninguém conheçamos segundo a carne...”(II Co. 5:16). Assim em aparência, Jesus era um Nazareno, mas dentro Dele havia ouro, incenso e mirra. Dentro Dele havia a Glória de Deus!!!

4. Manter o mesmo princípio

Devemos conservar esse princípio hoje. Para achar Cristo devemos ter a estrela brilhando; não nos guiando pela aparência exterior, mas segundo o que está no interior. Se alguém quiser conhecer os irmãos e a igreja, não deve estar atento a aparência exterior. Não deve dar valor às coisas exteriores, tais como grandes templos, grandes líderes, formalidades, grandes shows. Esqueça tudo isto. Jesus não tinha nenhum atrativo exterior. Ele era um pequeno nazareno que cresceu em uma província chamada “Galiléia das nações”, foi criado em uma cidade desprezada pelas pessoas – “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?” Se você “vem e vê”, e O desfruta , você O apreciará e será capturado por Ele. Essa é a maneira de descobrir Cristo e apreciar tudo o que Ele é e todos os seus itens preciosos como o ouro, o incenso e a mirra.

Comentários